O prefeito José Carlos do Pátio se reuniu nesta terça-feira (24) com representantes da Energisa para buscar alternativas mais ágeis no atendimento das demandas do poder público municipal levando-se em conta o interesse público. O problema estaria nos longos prazos regulamentados pelo Governo Federal para atendimento dos serviços necessários como ampliações e extensões de rede, entre outros.

Entre as questões levantadas está o prazo de 30 dias para ligações de rede em obras públicas como no caso de novas creches construídas. Para essa questão, Juliano Moreli, representante da Energisa se comprometeu em atender o Município com mais rapidez, em prazo menor que o regulamentado de 30 dias. A Energisa passa inclusive a disponibilizar um funcionário para atender exclusivamente as demandas do poder executivo na busca de agilizar os processos.

Também foi abordada a questão do longo prazo de 540 dias para que a Energisa atenda demandas de extensão de rede para novos bairros como é o caso do Loteamento Maria Amélia de Araújo.

Neste caso, por exemplo, Pátio explicou que como o prazo exigido pela Energisa é muito longo, o Município precisou realizar uma licitação para contratação de uma empresa para realizar o serviço com custo de cerca de R$ 1,3 milhão.

“Em vez de estarmos construindo novas creches, estamos pagando por esse serviço para não deixar a população sem a rede de energia. O tempo regulamentado não é o mesmo para atender as necessidades da população. As resoluções do Governo Federal não condizem com as necessidades da sociedade e essa situação precisa ser analisada. Esse debate precisa ser aberto”, argumentou o prefeito.

A intenção da reunião, segundo Pátio, é buscar um entendimento junto à Energisa para que esses prazos sejam reduzidos, para que o interesse público prevaleça. A população, de acordo com o prefeito, não pode ser penalizada.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta