O “Webinário Internacional Fronteiras da Avaliação” ouviu especialistas da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), da ABAVE (Associação Brasileira de Avaliação Educacional) e líderes públicos sobre o sistema de avaliações diagnósticas, formativas e somativas no Brasil

Especialistas em educação, do Brasil e do exterior, discutiram hoje o aperfeiçoamento da avaliação pedagógica para formar estudantes mais preparados. O “Webinário Internacional Fronteiras da Avaliação”, realizado pela Fundação Lemann, foi transmitido via rede social e contou com apoio e participação da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e da ABAVE (Associação Brasileira de Avaliação Educacional).

Estiveram presentes líderes públicos e especialistas de instituições como INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação), Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), Instituto Reúna, Movimento Colabora e Movimento pela Base.

A diretora de Educação da Fundação Lemann, Camila Pereira, abriu o debate enfatizando o objetivo do webinário: celebrar o sistema de avaliação do Brasil e refletir sobre o seu futuro e evolução. “Quanto melhor for nossa educação pública, mais o país vai conseguir desenvolver o potencial dos brasileiros, aproveitar o talento de milhões de alunos, que, hoje, ainda não chegam tão longe quanto poderiam por falta de oportunidade”, afirmou ela.

Andreas Schleicher, diretor de Educação na OCDE, falou sobre as mudanças esperadas no sistema de avaliações no futuro e o que podemos aprender entendendo o desempenho passado e atual. “A tecnologia está se tornando um motor muito importante para que a experiência seja mais real, relevante, autêntica e, em contrapartida, isso exige que a avaliação reflita essas mudanças”, explicou. “Algumas coisas são aprendidas, não ensinadas, como dimensões sociais e emocionais. A crise com a Covid-19 enfatizou isso: é mais difícil você capturar isso em avaliações. Temos que ser mais inovadores e tentar capturar essas dimensões também”, finalizou.

O presidente do INEP, Alexandre Lopes Pereira, trouxe ao público informações sobre as principais mudanças do Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), como a utilização da avaliação em todos os anos do ensino básico, a aplicação anual da prova e a abrangência de todas as áreas do conhecimento. Essas novidades começarão a ser implementadas já em 2021, gradativamente. O bate-papo foi conduzido por Daniel De Bonis, diretor de Políticas Educacionais na Fundação Lemann.

Plataforma de Aprendizagem

Maria Cecília Motta, presidente do Consed e Secretária de Educação do Mato Grosso do Sul, e Luiz Miguel Garcia, presidente da Undime e Secretário de Educação de Sud Menucci, enfatizarem a importância das avaliações no cenário da retomada das atividades presenciais. Eles apresentaram a ferramenta Plataforma de Apoio à Aprendizagem, que auxilia professores e gestores escolares a identificar as aprendizagens dos estudantes durante a pandemia e é totalmente gratuita. A iniciativa é do Consed e Undime, pela Frente de Avaliação, com apoio de BID, CAEd/UFJF, Fundação Lemann, Fundação Roberto Marinho, Instituto Ayrton Senna, Instituto Reúna e Itaú Social.

Painéis

No painel sobre as “Altas expectativas na BNCC – Avaliando competências e habilidades complexas”, participaram Mario Piacentini, autor da estruturação da avaliação de Competências Globais e Pensamento Criativo para o PISA, na OCDE; Ximena Dueñas Herrera, especialista em Educação do BID, e Chico Soares, ex-presidente do INEP e pesquisador em educação, com moderação de Alice Ribeiro, secretária executiva do Movimento pela Base.

“Nós precisamos, literalmente, de milhares de tarefas vinculadas à BNCC que a interpretem corretamente”, afirmou Chico Soares. “O momento é o de construir concretizações do que a BNCC nos diz e levar até a escola; junto com isso, fazer as avaliações, que são essenciais”.

O painel “Avaliação como parceira de alunos, professores e gestores na retomada das aulas” destacou a importância das avaliações na trajetória pedagógica dos estudantes e a preocupação em oferecer equidade na educação pública com qualidade, principalmente frente ao desafio estrutural que foi ainda mais evidenciado na crise da Covid-19. O moderador Thiago Tobias, secretário executivo do Movimento Colabora, recebeu Joanne Cady, líder do “PISA para Escolas” na OCDE; Fred Amâncio, secretário de Educação de Pernambuco e coordenador da Frente de Avaliação Consed/Undime; Maria Helena Castro, presidente da ABAVE; e Katia Smole, diretora do Instituto Reúna.
A íntegra do “Webinário Internacional Fronteiras da Avaliação” está canal do YouTube da Fundação Lemann.
Fonte | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *