A Câmara Setorial Temática da Mulher da Assembleia Legislativa de Mato Grosso realizou na tarde desta quinta-feira (26) na Prefeitura de Rondonópolis, uma audiência pública para discutir políticas públicas e leis de aperfeiçoamento em defesa dos direitos das mulheres.

Rondonópolis foi a segunda a receber a audiência, a primeira cidade contemplada foi Cáceres. Foram escolhidos seis municípios para a realização do evento de forma a escutar todas as regiões de Mato Grosso, conforme explicou a palestrante professora Jacy Proença.

“Dentro do nosso planejamento estratégico estabelecemos evidentemente audiências públicas em seis cidades polos como uma estratégia de proximidade com as realidades desse nosso Estado com cada região que apresenta uma especificidade”, esclareceu Proença.

Após as seis audiências será feito um relatório englobando todas as informações levantadas junto às autoridades locais e movimentos sociais e as propostas apresentadas com o intuito de melhorar a segurança das mulheres e principalmente coibir o feminicídio.

“Para a gente contemplar no nosso relatório final e expressar essa realidade de cada localidade e também colher as proposituras que poderão advir desse processo de discussão envolvendo o poder legislativo, executivo e a sociedade civil organizada”, finalizou Jacy.

Presente no evento, o prefeito José Carlos Pátio comentou sobre a valorização de ambos os sexos dentro da gestão municipal e reforçou sobre a necessidade de avançar esse debate, meio pelo qual é possível alcançar a igualdade de gênero.

“Nós criamos a Casa em Defesa da Mulher Violentada, também estou encaminhando para Câmara na semana que vem, a nova lei do Conselho Municipal da Mulher. Eu quero debater e avançar esse debate referente a causa da mulher. Aliás, a prova do meu compromisso com gênero tanto masculino quanto feminino, é que a metade do meu secretariado são mulheres”, afirmou Pátio.

A representante da força feminina indígena, cacique da aldeia Poboro, Nalva Borokyaro, acredita que o tema é amplo e deve ser debatido também com as etnias nativas. “Tem que ser discutido na aldeia sim, vai ser muito bom para nós que temos nossos filhos e netos que precisam ter essa compreensão. É muito importante fazer essa mesma reunião na aldeia”.

Participaram representantes do Poder Judiciário, do Legislativo Municipal, do Legislativo Estadual, sociedade civil organizada que defendem os direitos das mulheres, outras entidades e autoridades.

A Câmara Setorial Temática da Mulher é presidida pela desembargadora do Tribunal de Justiça, Maria Erotides Kneip Baranjak e conta com a participação da juíza de direito Amini Haddad; a defensora pública Rosana Leite Antunes de Barros; a procuradora do Estado, Gláucia Amaral; a delegada lotada na Delegacia da Mulher, Josylerth Magalhães, e a ex-vice-prefeita de Cuiabá Jacy Proença.

Assim como com a mestre em política social e pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre a Mulher e as Relações de Gênero da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), professora Vera Bertolini, e a presidente da Comissão da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Clarissa Lopes Maluf.

Fonte | Assessoria

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *