Algoritmos avançados são capazes de ajudar na detecção precoce de doenças, melhorando a segurança e os resultados para os pacientes

A inteligência artificial (IA) está revolucionando a prática da radiologia, oferecendo avanços significativos para os, médicos radiologistas, tecnólogos em radiologia e pacientes. Essa tecnologia molda o futuro da área, proporcionando benefícios substanciais e possibilitando transformar a medicina com maior precisão, eficiência e personalização no atendimento.

Atualmente, a IA está sendo amplamente utilizada para aumentar a eficiência e a precisão na análise de grandes volumes de imagens médicas. Para os radiologistas, essa tecnologia permite reduzir a jornada de trabalho, possibilitando um foco maior em casos mais complexos e desafiadores. “Essa tecnologia é capaz de melhorar a precisão diagnóstica e reduzir a ocorrência de falsos positivos e negativos. Isso não apenas melhora o processo de tomada de decisão clínica, mas também proporciona um suporte valioso para insights baseados em dados”, explica o professor Ibevan Arruda Nogueira, coordenador do Curso de Tecnologia em Radiologia da Faculdade Santa Marcelina. “Para os pacientes, os benefícios são igualmente notáveis, reduzindo o tempo de espera e a ansiedade associada. Em situações urgentes, a rapidez no diagnóstico pode ser crucial para um prognóstico seguro”, afirma.

Um dos aspectos mais promissores da IA na radiologia é sua capacidade de detectar doenças em estágios iniciais. Algoritmos treinados para identificar padrões sutis em imagens médicas podem detectar precocemente condições como câncer de pulmão, mama, próstata e até Alzheimer. A redução de erros diagnósticos é outra área onde essa ferramenta se destaca, utilizando algoritmos para triagem automática e detecção de anomalias, diminuindo a probabilidade de diagnósticos incorretos e melhorando a segurança dos pacientes.

Exemplos práticos com ênfase ao profissional Tecnólogo em Radiologia é uso de IA em hospitais e clínicas que incluem a interpretação e aquisição de imagens diagnósticas, a aquisição de imagens de alta resolução com menor ruído, e a aceleração dos protocolos de imagem. Na oncologia, ela auxilia no planejamento e na segurança das doses de tratamento. A assistência cirúrgica robótica, a prescrição de medicamentos e a triagem de doenças são outras áreas beneficiadas pela IA.

“O futuro da IA na radiologia é promissor, com tendências que apontam para aprimoramentos na detecção de anomalias, expansão do diagnóstico remoto (Command Center), personalização de tratamentos e integração com tecnologias emergentes como realidade aumentada (RA) e realidade virtual (RV)”, conclui o professor.

Sobre a Faculdade Santa Marcelina

Faculdade Santa Marcelina é uma instituição mantida pela Associação Santa Marcelina – ASM, fundada em 1º de janeiro de 1915 como entidade filantrópica. Desde o início, os princípios de orientação, formação e educação da juventude foram os alicerces do trabalho das Irmãs Marcelinas. Em São Paulo, as unidades de ensino superior iniciaram seus trabalhos nos bairros de Perdizes, em 1929, e Itaquera, em 1999. Para os estudantes é oferecida toda a infraestrutura necessária para o desenvolvimento intelectual e social, formando profissionais em cursos de Graduação e Pós-Graduação (Lato Sensu). Na unidade Perdizes os cursos oferecidos são: Música, Licenciatura em Música, Artes Visuais,  e Moda. Já na unidade Itaquera são oferecidas graduações em Psicologia, Administração, Ciências Contábeis, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Nutrição, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Estética e Cosmética. Além disso, há também a opção de cursos na modalidade de ensino a distância, que incluem Administração, Gestão Comercial, Gestão Hospitalar e Gestão de Recursos Humanos.

(Visited 1 times, 1 visits today)