Absorção via mucosa nasal evita o trato gastrointestinal, diminui as chances de efeitos colaterais e é ideal em casos de emergência como em crises epilépticas ou convulsivas; substância extraída da planta cannabis sativa pode ser administrada como “terapia de resgate”

Conhecido por suas propriedades ansiolíticas e anti-inflamatórias, o canabidiol (CBD) promove a modulação dos neurotransmissores e atua em aspectos como humor, apetite e qualidade do sono. Extraído da folha de cannabis sativa e presente em medicamentos dos mais diversos formatos, como comprimidos, óleos e gomas, o fitoterápico também pode ser administrado via intranasal, o que potencializa seus efeitos enquanto terapia de “resgate”, como são chamados os medicamentos pensados para proporcionar alívio imediato dos sintomas.

“O medicamento de resgate é diferente daqueles de manutenção, que são usados regularmente para controlar os sintomas e prevenir crises a longo prazo”, explica a Dra. Mariana Maciel, brasileira à frente da canadense Thronus Medical, biofarmacêutica que desenvolve fármacos para tratamentos com cannabis medicinal. “É uma entrega funcional, ideal para crises ou surtos. Facilita muito a aplicação por uma outra pessoa, que não precisará abrir a boca do paciente para que o medicamento seja colocado embaixo de sua língua”.

Além disso, quando administrados oralmente, em formato de óleos, a absorção depende de algum planejamento, como ser ingerido apenas após as refeições, por exemplo. “O intranasal é ideal para quando não temos tempo a perder. Em crises convulsivas, cada segundo sem medicamento pode aumentar as chances de perda neuronal e possíveis sequelas”. Com propriedades anticonvulsivantes e neuroprotetoras, o CBD via nasal promove a ação do princípio ativo de forma imediata, o que potencializa os efeitos, que podem durar até seis horas. O CBD intranasal pode auxiliar também em crises de ansiedade e enxaqueca.

Menos risco de efeitos colaterais

Sem risco de dependência e com toxicidade praticamente nula, o CBD se torna ainda mais seguro quando administrado de forma intranasal – ao evitar o trato gastrointestinal, não é afetado pela digestão e pelo metabolismo de primeira passagem, que influenciam na absorção e início dos efeitos, e diminuem as chances de efeito colateral.

Responsável pela homeostase, que promove a modulação dos neurotransmissores como serotonina, dopamina, endorfina, entre outros, e dos processos fisiológicos, como apetite, sensação de dor e qualidade do sono, o CBD não produz efeitos psicoativos. Mesmo assim, só deve ser utilizado sob prescrição médica, com respeito à dosagem e demais orientações determinadas pelo prescritor. 

Sobre a Thronus Medical

Fundada no Canadá por uma médica brasileira, a Thronus Medical é uma biofarmacêutica precursora da produção e do desenvolvimento de nanofármacos à base de cannabis medicinal. Com distribuidores na América do Norte, América Latina e Europa, a Thronus conta com tecnologia da nanomedicina exclusiva, desenvolvida para aumentar a biodisponibilidade de substâncias canabinoides pelo corpo humano, assim potencializando a absorção pelo organismo. Para alcançar esse padrão, o laboratório reduziu o tamanho das moléculas e as encapsulou em solução hidrossolúvel – processo de nanofarmacologia até então inédito.

(Visited 1 times, 1 visits today)