Altas temperaturas elevam riscos de infarto, acidente vascular cerebral, arritmias e insuficiência cardíaca. Diretora médica do Hospital Costantini indica práticas para um verão mais saudável

As altas temperaturas registradas neste verão podem contribuir para fazer de 2024 um dos anos mais quentes da história. São, também, um alerta para a saúde do coração, especialmente para pessoas com doenças cardiovasculares pré-existentes.

“Estes dias quentes que estamos enfrentando, com temperaturas acima dos 30 graus, podem resultar na dilatação dos vasos sanguíneos, levando a uma redução da pressão arterial. Isso faz com que o coração tenha que se esforçar mais para bombear o sangue, o que eleva o risco de eventos como infarto, acidente vascular cerebral, arritmias e insuficiência cardíaca”, explica a cardiologista Bianca Maria Prezepiorski, diretora médica do Hospital Cardiológico Costantini, de Curitiba. O hospital é referência nacional no tratamento de doenças do coração.

O calor aumenta a transpiração, o que pode levar à desidratação. Isso pode reduzir o volume sanguíneo, aumentando o esforço do coração para bombear sangue. “O corpo trabalha para se resfriar por meio do aumento do fluxo sanguíneo para a pele, o que pode aumentar a frequência cardíaca, colocando maior carga sobre o coração”, afirma a doutora Bianca.

Em resposta à temperatura elevada, os vasos sanguíneos periféricos podem se dilatar para ajudar na dissipação do calor, o que pode causar queda da pressão arterial e exigir mais esforço do coração. Para reduzir esses riscos, a cardiologista indica práticas para um verão mais saudável.

Hidratação adequada – Beba bastante água para compensar a perda de líquidos devido à transpiração. Evite bebidas com cafeína e álcool, pois podem aumentar a desidratação.

Evite atividades extenuantes durante o pico de calor – Reduza atividades físicas intensas durante os períodos mais quentes do dia, optando por atividades mais leves nas horas mais frescas.

Proteção contra o sol – Use roupas leves e de cores claras, além de aplicar protetor solar. Isso ajuda a reduzir o estresse térmico no corpo.

Ambiente fresco – Mantenha-se em ambientes climatizados ou bem ventilados. Evite permanecer por longos períodos em locais excessivamente quentes.

Conheça seus limites – Esteja ciente dos sinais de superaquecimento, como tontura, fraqueza, náusea e falta de ar. Descanse e vá para um local mais fresco. Se esses sintomas persistirem, procure orientação médica.

Via | Assessoria Foto | Divulgação

Print Friendly, PDF & Email
(Visited 1 times, 1 visits today)