Nutricionista alerta para o consumo em excesso e dá dica do que incluir sem banir as guloseimas do cardápio infantil

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que a ingestão do nutriente deve ser menor que 10% de todas as calorias diárias. Os achocolatados tradicionais são classificados como alimentos ultraprocessados, cujo processo de produção e substâncias utilizadas têm como objetivo tornar o sabor mais palatável e sua validade mais longa. Porém, esse consumo não deve ser algo rotineiro de acordo com o Guia Alimentar para a População do Ministério da Saúde.

O consumo desse quantitativo de açúcar, em um primeiro momento, não causa efeitos maléficos de imediato no organismo de crianças e jovens, mas como qualquer produto ultraprocessado, o consumo em excesso e de maneira recorrente pode gerar consequências prejudiciais. Entre esses efeitos estão o advento de um número muito grande de pessoas obesas, que desenvolvem doenças como diabetes, hipertensão arterial sistêmica e doenças do sistema circulatório.

“O açúcar está no topo da pirâmide alimentar, o que significa que seu consumo deve ser reduzido. Os achocolatados comuns são adoçados com açúcar, que é considerado um alimento vazio, porque só tem calorias e praticamente não tem nutrientes. Além disso, a substância também diminui a absorção do cálcio. O ideal é trocar os achocolatados comuns por produtos que não sejam adoçadas com açúcar e tenham na sua composição diversas vitaminas e minerais, e em concentrações adequadas como sais de ferro, que ajudam a reduzir as taxas de anemia”, aponta Alessandra Feltre, nutricionista da Puravida.

Ainda de acordo com a nutricionista, a dica é sempre buscar fazer escolhas equilibradas, não banindo os alimentos que o público infantil aprecia, como é o caso dos achocolatados. “Para não errar basta ficar de olho na lista de ingredientes e, na medida do possível, escolher produtos sem adição de açúcar, a exemplo do Choco Nutrients®. O produto não utiliza açúcar em sua formulação, além de oferecer 20 vitaminas e minerais indispensáveis para o organismo que está em fase de desenvolvimento. O achocolatado apresenta em sua composição 51% de cacau premium e possui vitaminas do complexo B, vitamina D, ferro, magnésio e zinco”, pontua Alessandra.

A bebida é adoçada Eritritol e a Stevia Reb A de nova geração, que não deixam retrogosto, ao invés do açúcar refinado, que passa por processos químicos.

Sobre a Puravida:

A Puravida é uma empresa brasileira de produtos naturais, que nasceu com o propósito de facilitar um estilo de vida saudável e a prática do cuidado da saúde como um projeto de longo prazo. O portfólio da Puravida é composto por mais de 200 produtos obtidos de maneira sustentável, entre alimentos naturais, suplementos concentrados e nutrientes fundamentais para que qualquer pessoa, mesmo a mais ocupada, possa introduzir qualidade em sua nutrição, rituais diários e cuidados pessoais.   

Via | Assessoria Foto | Divulgação

(Visited 1 times, 1 visits today)