Compartilhe!

Pessoas buscam alternativas para driblar o calor intenso das últimas semanas

A atual onda de calor que assola o Brasil por conta do fenômeno climático El Niño tem elevado a temperatura em algumas cidades até acima de 40°C e pode trazer efeitos adversos para a saúde, especialmente em populações vulneráveis, como idosos, crianças, pessoas com condições médicas pré-existentes e aqueles que trabalham ao ar livre.

Segundo Dr. Jô Furlan, médico, neurocientista e nutrólogo, para minimizar o impacto das ondas de calor e altas temperaturas, existem algumas recomendações médicas comumente sugeridas, como:

  • Hidratação: Beba bastante água ao longo do dia, mesmo que não sinta sede. Evite bebidas alcoólicas, cafeinadas e muito açucaradas, pois podem causar desidratação.
  • Vestuário: Use roupas leves, de cores claras e feitas de tecidos naturais como algodão. Chapéus de aba larga e óculos de sol também podem ajudar a proteger contra a exposição direta ao sol.
  • Evite a exposição direta ao sol: Fique à sombra sempre que possível e evite sair durante as horas mais quentes do dia, geralmente entre as 10h00 e as 16h00.
  • Use protetor solar: Se você precisa estar ao ar livre, aplique generosamente protetor solar com um alto fator de proteção solar (FPS) e reaplique conforme necessário.
  • Refrigere seus ambientes: Use ventiladores, ar-condicionado ou outros métodos de resfriamento. Se sua casa não estiver equipada com ar-condicionado, considere visitar locais climatizados, como shoppings, bibliotecas ou centros comunitários.
  • Tome banhos frescos: Um banho frio ou uma compressa fria pode ajudar a resfriar o corpo.
  • Mantenha-se informado: Acompanhe as previsões do tempo e esteja ciente dos alertas de ondas de calor.
  • Limitar atividades físicas: Se possível, tente limitar atividades físicas extenuantes durante as horas mais quentes do dia. Se precisar se exercitar, faça-o durante as horas mais frescas, como início da manhã ou fim da tarde.
  • Mantenha-se conectado: Mantenha contato com amigos, familiares e vizinhos, especialmente se eles pertencem a grupos de risco, para garantir que estejam bem durante as ondas de calor.
  • Medicamentos: Algumas medicações podem afetar a capacidade do corpo de regular a temperatura ou causar desidratação. Converse com seu médico sobre os possíveis riscos e medidas preventivas.
  • Conheça os sinais de doenças relacionadas ao calor: É crucial reconhecer sintomas como câimbras, exaustão pelo calor e insolação. Se alguém apresentar sintomas como tontura, náusea, dor de cabeça, pulso rápido ou pele quente e seca, é vital buscar ajuda médica imediatamente.

Na opinião do Dr. Jô Furlan, “vivemos em um país de dimensões continentais, de modo que a população acaba impactada por ondas de calor e frio, de modo que é de suma importância as pessoas se prevenirem dos efeitos das intempéries e impedir que isso comprometa o seu bem-estar”.

Sobre o Dr. Jô Furlan

Dr. Jô Furlan é médico, nutrólogo com especialização em Nutrologia pela ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia e neurocientista; professor e pesquisador na área de Neurociência do Comportamento; autor do best seller “Inteligência Comportamental Humana – A Inteligência do Sucesso”; coordenador do Programa de Empreendedorismo Sênior e Neurowellness (bem-estar do cérebro) da Universidade da Terceira Idade da Unicamp; precursor dos conceitos Neurowellness (bem-estar do cérebro), Emagrecimento Cerebral e Empreendedorismo Sênior; atuou em atendimento clínico por mais de cinco anos na Amazônia com comunidades ribeirinhas e quilombolas, sendo parte desse tempo em expedições de saúde realizadas por barco.

Deixe o seu comentário!
(Visited 1 times, 1 visits today)