Compartilhe!
Consequências podem ser evitadas com abordagem precoce conforme alerta o Dia da Saúde Ocular no Brasil
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no Brasil cerca de 30 milhões de pessoas enfrentam problemas com algum nível de cegueira ou deficiência visual. A celebração do Dia da Saúde Ocular no Brasil, em 10 de julho, alerta a população para esses casos que poderiam ter sido evitados com o devido diagnóstico precoce em uma consulta regular com um oftalmologista. Na ausência de detecção oportuna, a visão reduzida ou ausente pode ter efeitos pessoais e altos custos econômicos de longo prazo. A OMS estima que problemas na visão podem causar custos em perda de produtividade de cerca de US$411 bilhões por ano. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019, realizada pelo Ministério da Saúde e o IBGE, 3,4% da população do país com 2 anos ou mais de idade declararam ter muita dificuldade ou não conseguir de modo algum enxergar, o equivalente a 6,9 milhões de brasileiros com deficiência visual, que atingia a 2,7% dos homens e a 4% das mulheres. Cerca de 0,5% da população com 2 a 9 anos tinha deficiência visual, ante 9,2% entre os idosos. Entre as pessoas com 18 anos ou mais de idade, cerca  de 4,2% tinham deficiência visual. A própria OMS estima que no mundo todo, cerca de um bilhão de pessoas sofrem com algum tipo de problema de visão que poderia ter sido prevenido ou tratado. A deficiência visual afeta pessoas de todas as idades, sendo a maioria com mais de 50 anos, mas, crianças, jovens e adultos também têm apresentado cada vez mais problemas de visão devido ao uso prolongado de telas e com cada vez menos idade. “Além de afetar a qualidade de vida, o desempenho educacional, a produtividade, a participação na força de trabalho e contribuir para a depressão, os problemas oculares não detectados em tempo podem levar à perda da visão por meio de doenças como a catarata, o glaucoma, a degeneração macular relacionada à idade e a retinopatia diabética”, alerta o Dr. Cristiano Caixeta, oftalmologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo e presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). As principais causas de deficiência visual e cegueira são erros refrativos não corrigidos (miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia) e catarata, todos preveníveis com uma consulta ao oftalmologista e o devido diagnóstico e tratamento. Uma pesquisa do Ibope-Alcon, com apoio do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), apontou que 34% da população brasileira adulta nunca foi ao oftalmologista. “A saúde ocular é crítica para o bem-estar como um todo do indivíduo. Cerca de 80% das informações que processamos e utilizamos no dia a dia vem da visão. Por isso, é muito importante ter regularidade na visita ao oftalmologista, com o agravante de que várias doenças oculares são assintomáticas”, explica o especialista. Proteção dos Olhos Segundo Caixeta, é fundamental cultivar hábitos saudáveis, como consumir mais peixe, não fumar, praticar exercícios físicos, manter o peso adequado e uma boa alimentação, para a saúde ocular em conjunto com a visita regular ao médico oftalmologista. Confira algumas orientações sobre como proteger os olhos:
  • Evite coçar os olhos!;
  • Faça pausas. Evite ficar longos períodos na frente de telas;
  • Não use colírios sem recomendação médica. Alguns deles podem prejudicar a sua visão;
  • Proteja seus olhos. Isso vale para maquiagem vencida, sol em demasia e pequenos acidentes do dia a dia;
  • Use óculos ou lentes de contato apenas quando prescritos por médico oftalmologista;
  • Antes de colocar, ou, ao tirar as lentes de contato, lavar bem as mãos e higienizar as lentes com produtos indicados pelo fabricante. O estojo onde as lentes são guardadas também deve estar sempre limpo;
  • Use óculos de proteção ocular sempre que houver risco de algo atingir seus olhos;
  • Consulte seu médico oftalmologista regularmente! Alguns problemas oculares não apresentam sintomas e o diagnóstico precoce é fundamental.
Sobre a Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo A Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo conta com 3 Unidades de hospital geral (Pompeia, Santana e Ipiranga) que prestam atendimentos em mais de 60 especialidades, cirurgias de alta complexidade, como Oncologia e Transplantes de Medula Óssea. Conta também com 1 Unidade especializada em Reabilitação e Cuidados Paliativos na Granja Viana. Os hospitais gerais com atendimentos privados da Rede subsidiam as atividades de cerca de 40 unidades administradas pela São Camilo e que atendem pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) em 15 Estados brasileiros. No Brasil desde 1922, a São Camilo, que pertence à Ordem dos Ministros dos Enfermos, foi fundada por Camilo de Lellis e conta, ainda, com 25 centros de educação, dois colégios e dois centros universitários.
Via | Assessoria   Foto | Freepik
Deixe o seu comentário!
(Visited 1 times, 1 visits today)