87% das indústrias consideram o marketplace relevante para a estratégia de vendas, aponta levantamento

As inovações tecnológicas se tornaram uma grande fonte de crescimento e de lucro para as organizações e na indústria não é diferente. Uma das novidades adotadas nesse segmento são os marketplaces da indústria – uma tendência que não dá sinais de desacelerar. Segundo uma pesquisa da Bringg, 87% das indústrias consideram o modelo relevante.

Conhecido por ser um grande shopping center virtual, o marketplace conecta diversos fornecedores em um único ambiente, onde comercializam produtos e serviços com segurança e facilidade. Na indústria, essa nova forma de vender vem ganhando adesão e ampliando as frentes de negócio.
Para Franklin Bravos CEO da Signa, empresa de soluções digitais, que já profissionalizou mais de 500 e-commerces, existe uma série de possibilidades para a indústria explorar com um marketplace. Como, por exemplo, firmar parcerias com fornecedores locais para que eles revendam os produtos para o consumidor final, sem quebrar a rede de distribuição – o que não seria possível em um outro formato de vendas. Além disso, a logística fracionada – transporte de pequenas remessas com frete – fica a cargo do revendedor, que pode oferecer melhores condições de entrega, já que se encontra mais próximo do destino.

Nesse sentido, o formato de “uberização” ganha força, uma vez que o marketplace utiliza geolocalização para realizar uma varredura e identificar o vendedor mais próximo do cliente. Assim, a indústria tem mais oportunidades de venda, diminui as fronteiras de distribuição, reduz o tempo de entrega, para maior satisfação do cliente, além de fortalecer o comércio local.

Outro ponto importante é que, nesse novo conceito de negócio, o fornecedor tem acesso a métricas relevantes para conhecer os hábitos e desejos dos consumidores e, assim, definir estratégias comerciais mais assertivas. Tudo isso com a vantagem de ser um canal de vendas que fortalece os meios tradicionais de distribuição, não interferindo em outros sistemas de venda e distribuição já usados pela indústria.

Os marketplaces representam, portanto, uma grande oportunidade de escalada, tanto para a indústria quanto para comerciantes locais que estabelecerem parceria com o setor industrial. “É um modelo de negócio que amplia o alcance das vendas, atinge outros públicos e ainda fortalece a presença digital. Estar atento a essa tendência pode ser decisivo para o futuro da indústria e para se manter competitivo em um mercado cada vez mais digital e colaborativo”, finaliza o executivo.

Sobre Franklin Bravos

Franklin Bravos é CEO da Signa, empresa de negócios digitais e primeira plataforma Magento Saas do Brasil, e Head de Novos Negócios e M&A da Nexaas, Retail Tech especialista em inovação para o varejo. Atua como Professor de E-commerce na ComSchool e Uninove. Bravos é Técnico em Processamento de Dados e Informática pela UNICAMP, graduado em física pela Universidade de São Paulo e Administração e Processos Gerenciais na Anhanguera. É também Diretor Regional Interior de São Paulo na ABComm.

Via | Assessoria   Foto | Freepik
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta