Mostrar ao mundo que o agronegócio brasileiro é moderno, sustentável e respeita o meio ambiente. Esse é o objetivo do segundo ciclo do Programa de Imagem e Acesso a Mercados do Agronegócio Brasileiro (Pam Agro) 2021-2023, lançado na manhã desta terça-feira (14), em Brasília. O programa é liderado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o Ministério das Relações Exteriores.

“A produção agropecuária brasileira tem a marca da sustentabilidade. O Brasil é hoje um dos poucos países do mundo com capacidade para responder simultaneamente os desafios globais da segurança alimentar e da sustentabilidade ambiental. Nunca foi tão importante transmitir essa mensagem a parceiros comerciais e aos mercados de destinos dos nossos produtos”, disse o ministro das Relações Exteriores, embaixador Carlos Alberto Franco França.

O chanceler lembrou ainda que o lançamento desta edição do Pam Agro é importante porque é às vésperas da Assembleia-Geral das Nações Unidas, na qual o Presidente Jair Bolsonaro vai destacar o sucesso do agronegócio brasileiro.

O foco deste ciclo está na elaboração de uma estratégia de comunicação profissional por meio de eventos, pesquisas e a divulgação de conteúdos específicos para os países europeus.

“Vamos agora intensificar e aprimorar o combate contra a desinformação, contra o desconhecimento, contra as distorções a respeito do agronegócio brasileiro. Vamos levar a verdade à opinião pública internacional, em especial a europeia, tão influente no mundo, tão determinante de tendência e, infelizmente, tão afetada pelas campanhas desleais motivadas por interesses políticos ou econômicos”, ressaltou o presidente da Apex-Brasil, Augusto Pestana.

Pestana destacou que é preciso a união de todos, Itamaraty, Congresso Nacional e empresas privadas, para fazer frente ao desafio de mostrar ao mundo que o Brasil tem potencial agroambiental. “Com foco, exatidão e transparência, entraremos em campo com o que somos de fato: referência no desenvolvimento sustentável, no desenvolvimento que assegura o equilíbrio entre os pilares econômicos, social e ambiental, referência na agricultura de baixo carbono, nas energias limpas e renováveis, referência nas inovações que operam verdadeiros milagres”, completou o presidente da Apex-Brasil.

Mercado Externo

O ministro das Relações Exteriores destacou que o Brasil reafirmou sua posição como potencial agroambiental durante as restrições causadas pela Covid-19. Segundo ele, só no ano passado o agro respondeu por 48% das exportações do Brasil. Já entre janeiro e julho deste ano, as exportações de produtos agrícolas chegaram a US$ 72,7 bilhões, o maior valor da série histórica para o período. “Veio a pandemia, afetou o mundo, numa maneira inédita, ainda afeta, mas o nosso agronegócio não parou. Nosso agronegócio segue ativo, segue gerando emprego, segue recolhendo impostos, segue gerando riquezas, segue alimentando o mundo”, concluiu o chanceler.

A primeira edição do PAM Agro foi lançada em 2017. A edição 2021-2023 tem o apoio de 15 instituições ligadas ao setor.  “São organizações que refletem a força vital do agronegócio brasileiro, cada vez mais competitivo, tecnológico e sustentável. São organizações que ajudam a transformar todo o nosso potencial em exportações, gerando divisas, empregos, oportunidades para milhões e milhões de brasileiros contribuindo, além disso, para a segurança alimentar do planeta”, finalizou o presidente da Apex-Brasil, Augusto Pestana.

Via | Gov.br
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta