Uma técnica em enfermagem, de 38 anos, fez um boletim de ocorrência, nesta segunda-feira (5), denunciando o hospital São Judas Tadeu, no Bairro Jardim Califórnia, em Cuiabá, de tirar oxigênio de pacientes com Covid-19 e deixá-los morrer na unidade hospitalar.

A denúncia foi feita após a profissional ser demitida da unidade hospitalar, nesta manhã.

O Hospital São Judas Tadeu, por meio de nota, nega o relato e afirma que a profissional está mentindo.

“As acusações foram proferidas por uma funcionária que trabalhou 50 dias na instituição e foi demitida na semana passada justamente por práticas dissonantes com as exigidas pelo hospital e, por isso, utiliza-se dessa pauta com cunho de promover retaliação e vingança. É evidente que as afirmações são desprovidas de qualquer fundamento e principalmente provas”, diz trecho da nota.

A técnica acionou a polícia, que foi até ao hospital, para denunciar o caso. A profissional foi encaminhada a uma delegacia para confecção de boletim de ocorrência.

A Polícia Civil confirmou o registro do boletim.

A profissional contou que estava trabalhando na unidade há dois meses, mas que houve quebra no contrato e ela foi demitida. De acordo com a técnica em enfermagem, durante os dois meses de experiência no hospital, ela presenciou negligência e maus-tratos.

“Faltavam insumos, medicamentos, a sedação estava sendo feita com morfina. E eu vi eles desligando oxigênio dos pacientes. Estavam deixando os pacientes morrerem todos os dias”, relata.

O hospital afirmou que irá adotar medidas cíveis e criminais cabíveis contra a profissional.

“Sempre atuamos com profissionais sérios e comprometidos com a ética e o bem estar dos pacientes e assim permaneceremos nossa caminhada”, encerra outro trecho da nota.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta