Dados do Boletim Epidemiológico Semanal, divulgado nesta quinta-feira (8) apontam tendência de estabilização do número de registros de casos e redução nos registros de óbitos por Covid-19 em comparação às semanas anteriores.

O Brasil mantém tendência de estabilização de casos e redução de óbitos pela Covid-19. Os casos registrados na Semana Epidemiológica 40, que compreende o período de 27 de setembro a 3 de outubro, apontam variação de 0,5 % em relação à semana anterior, demonstrando estabilidade no número de novas notificações de casos da doença.

Nesta última semana, foram notificados 26.977 casos e 27.107 na semana anterior (20 a 26/9). Já em relação aos óbitos pela Covid-19, houve redução de 6%, com 654 registros nessa última semana, frente a 696 registros na semana anterior (20 a 26/9).

Além disso, foi observada redução nos registros de casos nas regiões Centro-Oeste (-6%) e Nordeste (-7%), estabilização nas regiões Norte (+3%) e Sudeste (-3%) e aumento na região Sul (+19%). Quanto aos registros de óbitos, houve redução nas regiões Centro-oeste (-9%) e Sudeste (-13%), estabilização nas regiões Nordeste (0%) e Sul (+4%) e incremento na região Norte (+22%).

O aumento no número de registros de óbitos na região Norte pode ser explicado pela conclusão da investigação de óbitos ocorridos em meses anteriores pela Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas, que só foram contabilizados como óbitos por Covid-19 nesta semana.

Em relação à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o boletim demonstra que até 3 de outubro foram notificados 777.242 casos de SRAG, dos quais 418.070 (53,8%) foram confirmados para Covid-19. Em relação aos óbitos, do total de 203.754 por SRAG, 142.793 (70,1%) foram confirmados para Covid-19. Os dados apresentados no boletim mostram uma redução tanto no número de casos quanto no número de óbitos por SRAG confirmados por Covid-19 em todas as regiões.

VIGILÂNCIA LABORATORIAL

O Boletim Epidemiológico também apresenta dados referentes à vigilância laboratorial da Covid-19. Desde o início da pandemia, em março de 2020, o diagnóstico laboratorial se destacou como ferramenta essencial para confirmar os casos e, principalmente, para orientar estratégias de atenção à saúde, isolamento e biossegurança para profissionais de saúde.

Entre as ações de enfrentamento à Covid-19, o Ministério da Saúde lançou o Programa Diagnosticar para Cuidar que busca a ação integrada da Vigilância em Saúde e da Atenção Primária e Especializada à Saúde para identificar e tratar precocemente os casos de Síndrome Gripal – SG e Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG e diagnosticar laboratorialmente a Covid-19.

A pasta ampliou a recomendação de testagem para todos os casos suspeitos de Covid-19 e para profissionais de saúde, colocou à disposição as plataformas de alta testagem e implementou as bases para a estratégia de rastreamento e monitoramento de contatos, em uma ação em conjunta entre vigilância e atenção primária à saúde.

Até o dia 3 de outubro, foram realizados 4,1 milhões de exames de RT-PCR para Covid-19 na rede pública de saúde. A média diária de exames realizados passou de 1.148 em março para 31.331 em setembro. Nos últimos 30 dias (27 de agosto a 5 de outubro), 90,76% dos resultados dos exames para Covid-19 foram liberados de 0 a 2 dias.

Fonte | Assessoria Agência Saúde

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *