Professor do curso de Engenharia Elétrica da Unic Rondonópolis pontua ações que ajudam ecossistema

Rondonópolis, julho 2020. Em maio de 2019,  Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia ( Abraceel ), realizou um estudo, onde apontou que 87% dos brasileiros consideram que a energia elétrica é cara ou muito cara. Devido ao estudo feito e coincidindo com o isolamento social agora neste ano corrente e comparando com o mês maio, as pessoas ficando mais tempo em casa, haverá consequentemente um aumento no consumo de energia elétrica em seus lares e/ou unidades consumidores – e muitos lares não disponibilizam o uso de fontes alternativas de energia, como a fotovoltaica, que ajudam a reduzir os custos do consumo de energia elétrica.

As condições climáticas volta e meia tem afetado os recursos hídricos, e por sua vez estes recursos colaboram com geração de energia por parte das hidroelétricas, representando cerca de 70% da matriz elétrica. O Brasil enfrenta problemas para garantir a geração de energia, como explica a professor do curso de Engenharia Elétrica da Unic Rondonópolis, Gilberto de Sousa Bruno. “Mesmo com uma hidrografia invejável e com novas hidrelétricas sendo construídas, e uma demanda de consumo elétrico oscilante, não conseguimos garantir uma condição favorável de disponibilidade para geração de energia de forma uniforme ao longo do ano inteiro. É ressalta-se a importância da consciência no consumo”.

Para utilizar a energia de maneira consciente, que ajude o meio ambiente, e ainda economizar na conta de luz, o professor de Engenharia Elétrica da Unic Rondonópolis dá algumas dicas:

1. Entender a potência do aparelho

Algumas pessoas compram aparelhos ou equipamentos por impulso ou por recomendação do vendedor. Elas têm em casa a melhor fritadeira elétrica, a chapinha mais quente, o chuveiro com maior vazão, por exemplo. Muitas vezes, essa potência toda não se justifica. Por isso, é importante conhecer o tipo de aparelho para compreender se sua instalação elétrica residencial está adequada para recebê-lo, entender qual a sua eficiência energética e o quanto ele representa de consumo de energia, ou seja, a contribuição ao final da fatura.

2. Geladeira e fogão próximos não combinam

Esses dois equipamentos próximos podem interferir no consumo de energia um do outro, devido às diferenças de temperatura. O calor do fogão, quando a geladeira está ao lado, pode atrapalhar muito o desempenho do equipamento. Procure posicioná-los em locais distantes para garantir o funcionamento adequado.

3. Mantenha o filtro do ar-condicionado limpo

O uso do ar-condicionado racionalmente não tira o conforto ou a qualidade de quem usa. A dica desse equipamento é manter sempre os seus filtros limpos, efetuar manutenções preventivas pelo menos uma vez a cada semestre com pessoas especializadas e dimensionar o ar ideal para o ambiente em que está instalado. Vale lembrar que os condicionadores de ar mais recentes possuem novas tecnologias que estão preocupadas com a eficiência energética.

4. Prefira os ventiladores

Para quem não tem o ar-condicionado ou quer economia na conta de energia, o uso do ventilador é uma boa opção. O produto pode consumir até 80% a menos em potência (watts) do que um ar-condicionado de 7.500 BTUs ou 2.197 watts. Prefira as versões mais econômicas, com qualidade e teste comprovados de sua eficiência pelos órgãos certificadores. ​Outra dica é aproveitar a ventilação natural sempre que possível.

5. Mantenha a geladeira fechada e verifique as borrachas de vedação

Procure ser rápido e preciso na escolha dos alimentos armazenados na geladeira. Parece básico, mas muita gente ainda abre a porta e fica observando por minutos, desnecessariamente. Neste período todo em que a geladeira fica aberta, ocorre troca de temperatura com o ambiente, o ar gelado que mantém a temperatura adequada acaba saindo. Então, os sensores indicam que precisa ligar o motor para gelar de novo ​e assim manter a temperatura ideal. Além disso, em algumas residências, a geladeira é o aparelho doméstico que tem o custo mais alto de utilização, por isso, mais uma dica: verifique a borracha de vedação da porta. Se estiver em estado ruim, faz o motor ligar mais vezes para manter a temperatura e, com isso, o consumo pode impactar na conta de energia.

6. Passe a maior possível de roupas

Caso tenha o hábito de passar roupas em poucas quantidades e todos os dias, saiba que é preciso mudar. Acumule a maior quantidade de roupas e tire um dia da semana para passa-las. Ligar o ferro várias vezes por semana certamente refletirá na conta de energia.

7. Dê preferência por aparelhos certificados PROCEL

Até algumas marcas de carros já possuem o selo PROCEL, os que têm a categorização por letras. Equipamentos eletrodomésticos são identificados de “A” até “G”, sendo o selo com classificação “A” o mais eficiente. Dê preferência por ele, pois isso ajuda o meio-ambiente e o bolso do consumidor.

8. Não demore no chuveiro

Além de ser um dos aparelhos que mais consome energia na residência, passar muito no chuveiro representa o desperdício de água. O gasto varia conforme a potência do equipamento e tempo de permanência, por isso, lembre-se que consumo consciente evita surpresas na conta.

9. Evite “gambiarras” elétricas

Avalie se as instalações elétricas e os circuitos estão dimensionados corretamente para receber ligações dos eletrodomésticos. Caso não esteja, pode aquecer o condutor e derretê-lo, ocasionando um efeito térmico e aumentando as chances de um curto circuito ou, conforme a situação, até um incêndio. Evite usar benjamins (ou Tes) na mesma tomada e ligar vários aparelhos com potências diferentes, isso também produz efeito joule (quando a energia elétrica se transforma em térmica, ou seja, calor), consome energia e aumenta a possibilidade de incêndios.

10. Evite Stand-by

Os aparelhos, quando ficam em stand-by, também consomem energia. Essa ação pode representar até 12% do consumo total do aparelho. A dica importante, se não utiliza o aparelho com tanta frequência, tire-o da tomada e o gasto de energia cairá.

“Aproveitar as dicas e transformá-las em hábitos são uma forma cultural de pensar no meio ambiente e no bolso. Além disso, nunca se esqueça de um princípio básico: se ninguém está usando no ambiente não há necessidade de manter a iluminação acessa. Luz apagada não se paga. Pense nisso!”, finaliza o professor do curso de Engenharia Elétrica da Unic Rondonópolis, Gilberto de Sousa Bruno.

Sobre a Unic

Fundada em 1988, a Unic foi a primeira instituição privada de ensino superior no Mato Grosso e é uma das universidades mais conhecidas e tradicionais da região, tendo formado milhares de alunos nos cursos presencias e a distância. Com unidades em várias cidades do estado e representatividade em diversos campos de atuação, a instituição oferece cursos de extensão, graduação, pós-graduação lato sensu, além de programas de mestrado e doutorado. De portas abertas para a comunidade, a instituição presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Unic oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. Em 2010, a Unic passou a integrar a Kroton. Para mais informações, acesse: http://www.unic.br.

Sobre a Kroton

A Kroton é uma companhia brasileira e uma das principais organizações educacionais do mundo, proporcionando ensino de qualidade durante todos os momentos da vida dos alunos, desde o ensino básico até a educação continuada. Com atuação inovadora, a Kroton é líder no desenvolvimento e aplicação de soluções educacionais. Em seus mais de 50 anos de tradição já contribuiu para a transformar a vida de milhões de pessoas, e trabalha para continuar concretizando sonhos em todos os cantos do país.
Fonte | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *