ALMT tinha marcado uma sessão na noite de sábado para votar projeto do Executivo que aumenta salários de presidentes de autarquias e fundações e cria verba indenizatória para servidores do gabinete do governador, da Casa Civil e da PGE.

O projeto do governo do estado que aumenta os salários de presidentes de autarquias e fundações públicas e institui verba indenizatória alguns servidores estaduais foi retirado da pauta da votação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), na noite desse sábado (9), após uma sessão convocada para a votação da proposta.

O aumento salarial e a criação de verba indenizatória tiveram repercussão negativa. Por causa disso, os deputados disseram que há pontos que precisam ser esclarecidos.

O projeto concede aumento salarial e verba indenizatória para alguns servidores e presidentes de autarquias e de fundações públicas.

Se o projeto for aprovado, os presidentes de autarquias e fundações públicos passariam a receber quase o dobro. Hoje, eles recebem R$ 9,3 mil e passariam a ganhar 18,2 mil.Hoje, eles já recebem uma verba indenizatória de mais de de R$ 9 mil.

Além disso, o projeto cria uma verba indenizatória de R$ 5,3 mil para servidores da Procuradoria Geral do Estado (PGE), que atuam na Casa Civil, gabinete do governador, diretor de Tecnologia da Informação e diretoria geral.

Deputados são convocados para votar aumento de salários e VI do alto escalão do governo.

Fonte | G1  Fablicio Rodrigues/ALMT

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *