A Prefeitura de Rondonópolis, por meio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), secretarias municipais de Transporte e Trânsito e Meio Ambiente, juntamente com o Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) e Polícia Militar, criou o projeto “Samuzinho”, que leva orientações de trânsito e contra trotes aos serviços de urgência e emergência até os alunos das escolas municipais.

Conforme dados da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito, já passaram pelo projeto 3.642 crianças de 11 escolas municipais. O objetivo que que elas aprendam que realizar trotes ao 190, 192 e 193 traz prejuízos e atrasos na assistência que Polícia Militar, Samu e Corpo de Bombeiros prestam à população, além de entenderem desde pequenas as regras de trânsito, para que se tornem cidadãos mais conscientes quanto ao respeito à legislação.

A PM orienta sobre os trotes, explicando que os serviços prestados são de urgência e emergência e precisam ser rápidos e que um trote tende a atrapalhar o trabalho em desenvolvimento e automaticamente à assistência prestada ao cidadão. As crianças precisam, ao fim das instruções, fazer um juramente de que não realizarão trotes.

A gerente do Núcleo de Educação para o Trânsito, agente de fiscalização de transporte e trânsito, Maria Izabel Cruvinel Martins, destaca que as crianças recebem informações sobre como funciona a legislação de trânsito. São informados sobre a necessidade de atravessar as vias nas faixas de pedestres, quanto aos cuidados a serem tomados nas brincadeiras de rua, além de orientações para quem anda de bicicleta.

Também é ressaltado às crianças que somente podem ser transportadas em motocicletas aquelas maiores de sete anos e com equipamentos de segurança adequados. No carro, o transporte no banco da frente deve ocorrer somente para crianças acima de 10 anos. Abaixo desta idade devem estar de cinto de segurança no banco de trás do veículo. Izabel destaca que de zero até um ano, o bebê deve ser transportado no bebê conforto; de um a quatro anos, na cadeirinha; e, de quatro e sete anos e meio, no acento de elevação. Após essa idade, deve continuar no banco de trás com cinto.

As crianças ainda são informadas que dirigir após ingerir álcool é proibido e que o uso do celular ao volante aumenta em 400% a chance de envolvimento em acidentes de trânsito.

O coordenador do projeto ‘Samuzinho’ é o médico do Samu, Wellington Milhomen e com as parcerias o projeto segue até dezembro orientando alunos das escolas municipais, podendo se estender para as escolas rurais também.

Fonte | Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *