Testemunhas viram casal em uma motocicleta com um galão de combustível. Moto do rapaz, que fugiu, estava com o lacre violado e levada para o Detran, depois de ser apreendida.

A adolescente, de 17 anos, foi detida e encaminhada para a Central de Flagrantes de Cuiabá. O rapaz foi identificado como Waldiney Fernandes de Barros, no entanto, até o final da manhã desta sexta-feira ele não foi encontrado pelos policiais.

 Uma equipe da PM fazia rondas pela madrugada e abordou Waldiney em um estádio do bairro, supostamente em atitudes suspeitas. A adolescente saiu de uma casa na frente do estádio e se apresentou à polícia como mulher do rapaz.

O jovem estava perto de uma motocicleta, modelo Falcon, que ele disse ser dono. No entanto, ele não tinha carteira de habilitação nem documentos do veículo. Conforme a PM, o lacre da motocicleta estava violado e, por isso, a moto foi apreendida e levada para o pátio do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran).

Depois de apreenderem a moto, os policiais liberaram o casal. Alguns minutos depois dessa situação, a polícia recebeu a informação que o micro-ônibus da PM, que estava estacionado na rua lateral a base comunitária da polícia, foi incendiado.

Moradores disseram à PM que um casal em uma moto usou um galão com combustível para colocar fogo no veículo da polícia. O homem citado pelas testemunhas tinha as mesmas características físicas de Waldiney.

Os policiais estiveram na casa do pai da jovem e conseguiram o endereço do suspeito. O pai da adolescente disse que a jovem havia passado no local com o namorado, em outra moto, e havia pedido emprestado um galão de plástico para comprar combustível.

Na sequência, os policiais foram até a casa do suspeito, no mesmo bairro, onde viram a adolescente tentando fugir pelos fundos da residência. Ela disse aos policiais que não sabia onde o marido estava. A PM encontrou o galão usado pelo casal e uma motocicleta, ainda com o motor quente, nos fundos da casa.

De acordo com a PM, o suspeito possui diversos registros criminais por envolvimento com o tráfico de drogas, roubo, furto e homicídio. O funcionário de um estabelecimento também disse que um casal em uma motocicleta azul havia comprado alguns litros de gasolina num ‘galão’, pouco tempo antes da hora que o crime foi registrado.

Fonte | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta