Família teve banhos e rotina registrada pela câmera instalada na tomada do banheiro. Aparelho ficou instalado no local por cerca de 15 dias.

Um novo vídeo mostra com detalhes a tomada onde foi encontrada uma câmera escondida em uma casa alugada, em Anápolis, a 55 km de Goiânia.

Uma família morou no local por duas semanas e, durante o período, teve banhos e a rotina registrada pelo aparelho. Após encontrar a câmera, os moradores saíram às pressas do local.

O empresário e locador Francismar Fernandes da Silva, de 36 anos, foi preso na sexta-feira (19) suspeito de instalar a câmera. Em nota, a defesa de Francismar disse que está empenhada em cooperar com as investigações.

“Permaneceremos vigilantes na defesa dos direitos de nosso cliente e trabalharemos incansavelmente para garantir que a justiça seja alcançada de maneira justa e imparcial”, escreveu.

Até sábado (20), a defesa afirmou que não havia tido acesso aos autos do processo.

A câmera foi escondida na tomada de um dos banheiros da casa. No vídeo é possível ver que o buraco do meio da tomada, onde normalmente é encaixado o pino ligado ao fio terra, foi aumentado. Dentro, há a pequena câmera. A filmagem feita com o uso do flash faz com que a lente da câmera escondida seja revelada.

Câmera escondida em banheiro

Investigações apontam que a câmera ficou instalada por cerca de 15 dias, registrando o momento do banho dos moradores, inclusive crianças e adolescentes. — Foto: Polícia Civil / Reprodução
Investigações apontam que a câmera ficou instalada por cerca de 15 dias, registrando o momento do banho dos moradores, inclusive crianças e adolescentes. — Foto: Polícia Civil / Reprodução

A mulher que alugou a casa por duas semanas contou que ficou na casa com os três filhos. Segundo a polícia, a família se mudou para lá e ficou por 15 dias no local, período em que a câmera também esteve instalada no imóvel.

A família se mudou para a casa em fevereiro deste ano, segundo a polícia. Uma adolescente, de 16 anos, filha de uma das moradoras do imóvel, foi quem encontrou o aparelho. Ela achou a câmera após flagrar o locador dentro do banheiro da casa. Na ocasião, ela estava sozinha em casa por ter se sentido mal e não ido ao colégio. Ela ouviu o cão latindo no rumo do banheiro e ao ir até o local, encontrou Francismar. O homem fugiu.

A moradora contou que o locador sabia da rotina da família.

“Ele acompanhava nossa rotina. Na garagem de fora tinha uma câmera e na frente da casa um mercadinho da mulher dele, de quem eu aluguei”, detalhou.

Desconfiada, a adolescente acabou descobrindo uma câmera escondida, que havia sido instalada na tomada do banheiro. A Polícia Técnico-Científica confirmou a existência da câmera, que transmitia em tempo real as imagens captadas no banheiro, além de armazenar os arquivos, segundo a polícia.

As investigações apontam que a câmera ficou instalada por cerca de 15 dias, registrando o momento do banho dos moradores, inclusive crianças e adolescentes.

A família contou à polícia que, após alugar a casa, Francismar chegou a simular que precisava tirar algum objeto da residência e, na ocasião, pediu para usar o banheiro. Foi oferecido outro banheiro a ele, mas o empresário teria insistido que fosse outro banheiro, utilizado pelos moradores para tomar banho.

“Nesse banheiro ele ficou cerca de 10 minutos. Acreditamos que foi nesse momento que ele instalou a câmera”, relatou a delegada Aline Lopes, que investiga o caso.

Polícia também cumpriu mandado de busca e apreensão na residência do suspeito, sendo apreendidos diversos dispositivos eletrônicos — Foto: Polícia Civil / Reprodução
Polícia também cumpriu mandado de busca e apreensão na residência do suspeito, sendo apreendidos diversos dispositivos eletrônicos — Foto: Polícia Civil / Reprodução

Trauma

A mulher explicou que se mudou para o local com os filhos por ser mais próximo ao trabalho dela. No entanto, ao descobrirem as câmeras, saíram às pressas.

O ex da mulher, pai da adolescente que encontrou a câmera, explicou que a filha ligou desesperada quando descobriu o aparelho.

“Elas estão com medo. A câmera estava pegando tudo. A gente fica indignado com uma coisa dessa e preocupadíssimo. A gente fica sem chão. Foi um pesadelo”, comentou o homem.

Mesmo após a mudança do local, a família permanece apavorada. Segundo a moradora, o filho de apenas 8 anos passou a ter medo de tomar banho sozinho.

“Ele está com medo de ficar no banheiro, de tomar banho sozinho. Minha filha está cismada, com medo de ir para a escola. Foi um trauma”, complementou a mulher.

Prisão do locador

Além da prisão preventiva, também foi cumprido mandado de busca e apreensão na casa do suspeito, sendo apreendidos diversos dispositivos eletrônicos, que serão periciados.

Segundo a delegada, Aline Lopes, o empresário poderá responder pelo crime de registrar cenas de nudez de criança e adolescente, além da invasão da casa: “Como a casa estava alugada, ele não tinha direito de lá entrar. Configura invasão”, completou.

A polícia apurou que Francismar é proprietário de uma empresa de energia solar, com acesso ao interior de diversas casas, o que levou a acreditar que pode haver mais vítimas. Por isso, a Polícia Civil divulgou a imagem do suspeito na intenção de identificar outros prováveis crimes.

Nota da defesa de Francismar na íntegra:

“Em resposta aos recentes eventos relacionados ao caso do Francismar Fernandes Da Silva, o escritório Almeida, Postigo e Silva gostaria de esclarecer publicamente alguns pontos cruciais. Confirmamos que o escritório assumiu a representação legal do investigado, no referido caso. No entanto, até o presente momento, não foi concedido acesso aos autos que resultaram em sua prisão preventiva.

A ausência de acesso aos documentos pertinentes compromete substancialmente nossa capacidade de preparar uma defesa eficaz em nome de nosso cliente. O direito fundamental à ampla defesa e ao contraditório é essencial em um Estado Democrático de Direito, e estamos comprometidos em garantir que esses direitos sejam plenamente respeitados.

Apelamos às autoridades competentes para que respeitem o devido processo legal e garantam que todas as partes envolvidas tenham acesso igualitário às informações necessárias para uma atuação justa e adequada. E, também, à imprensa para que tenha paciência para apurar todo o fato antes de emitir um juízo de valor sobre a situação.

Estamos empenhados em cooperar plenamente com as investigações, desde que nos seja concedida a oportunidade de examinar os elementos que embasam as acusações contra nosso cliente. Confiamos que, com o acesso aos autos, seremos capazes de exercer plenamenteo direito de defesa e esclarecer quaisquer equívocos que possam ter ocorrido neste caso.

Permaneceremos vigilantes na defesa dos direitos de nosso cliente e trabalharemos incansavelmente para garantir que a justiça seja alcançada de maneira justa e imparcial.”

Via | G1 Fotos | Reprodução

(Visited 1 times, 1 visits today)