Entre os meses de abril e maio ocorrerão dois grandes eventos do calendário pecuário brasileiro. Do dia 27 de abril a 5 de maio, a capital mundial do zebu, a cidade de Uberaba, em Minas Gerais, aguarda a visita de mais de 400 mil pessoas, nas dependências do Parque Fernando Costa, para shows, leilões e julgamentos de bovinos da 89ª ExpoZebu – Exposição Internacional do Zebu.

Mais acima, na região Centro-Oeste, precisamente no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá (MT), será realizada a edição 2024 da Acricorte, em 16 e 17 de maio. O projeto faz parte de uma série de iniciativas da Associação dos Criadores do Mato Grosso (Acrimat) para levar informação a pecuaristas do estado que detém o maior rebanho bovino do Brasil. São 34 milhões de cabeças, segundo dados da Pesquisa Pecuária Municipal (PPM-IBGE).

Em comum, neste ano, os visitantes das duas mostras terão acesso às mais recentes inovações da Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), biotecnologia reprodutiva utilizada por criadores de todo o País. De acordo com dados do indexador da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA), de 2023, a inseminação já é realidade em 23% das vacas em idade de reprodução, um crescimento de 100% comparado há dez anos, sendo que 90% delas são submetidas à sincronização de cio.

“Na última década, tivemos um sólido crescimento da IATF, muito impulsionado pelos benefícios financeiros que ela vem gerando nas propriedades e até mesmo alavancada pela maior exigência dos consumidores de carne de qualidade. Agora, o objetivo é o uso de protocolos de alta performance”, avalia o médico-veterinário José Ricardo Fachin, promotor técnico da GlobalGen vet science, joint venture fundada, em 2015, fruto de parceria entre a holding americana ReproGen e a empresa brasileira UCBVET Saúde Animal.

Entre as iniciativas existentes no mercado, o médico-veterinário destaca o protocolo Best Choice, projetado para otimizar a fertilidade de fêmeas de corte, e o G-Synch, programa de reprodução específico para aumentar a eficiência reprodutiva de vacas leiteiras e que apresenta taxa de concepção acima de 50%.

Outra grande novidade é o ReBreed-21, desenvolvido pela empresa em parceria com a University of Wisconsin (Madison/EUA). Trata-se de uma estratégia de ressincronização precoce com intervalo de 21 dias entre as inseminações, permitindo três delas em 42 dias de estação de monta.

Além de elevar a concepção, o novo protocolo de alta performance pode ser utilizado para aumentar a produção dos cobiçados “bezerros do cedo”, animais comercializados com maior valor agregado, após a desmama. O trabalho foi validado em parceria com o Grupo Roncador, que reúne mais de 60 mil cabeças de gado.

Especialista norte-americano visita Brasil

O Dr. Richard Pursley, com formação em Dairy Production pela Universidade do Kansas e pós-doutorado em Fisiologia Reprodutiva pela Universidade de Wisconsin-Madison, é uma autoridade reconhecida internacionalmente no campo da inseminação artificial.

Ao lado de Milo C. Wiltbank, Pursley é responsável pela criação do protocolo OvSynch®, que possibilitou o uso da IATF em escala mundial, na década de 1990, e também é cofundador da GlobalGen. O roteiro de visitas, realizadas no dia 20 de março, em Uberaba, contemplou a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu, a Associação Brasileira de Inseminação Artificial e as centrais de genética GENEX e Alta Genetics.

De lá, seguiu para a cidade de Uberlândia, também em Minas Gerais, um dia depois, para o encontro GlobalSynch “Amigos do Leite”, onde apresentou novas abordagens para protocolos de IATF em vacas leiteiras, com destaque especial à utilização estratégica dos produtos Maxrelin (GnRH), Induscio (cloprostenol), e Reprosync 2g, em programas reprodutivos.

>> Mais informações sobre a GlobalGen, acesse: https://globalgen.vet/

Print Friendly, PDF & Email
(Visited 1 times, 1 visits today)