Ministério da Saúde e Anvisa reforçam alertas sobre uso de pomada capilar durante o Carnaval
,

Ministério da Saúde e Anvisa reforçam alertas sobre uso de pomada capilar durante o Carnaval

Campanha recomenda atenção redobrada durante a folia, período em que o cosmético é muito utilizado. Uso indevido pode levar a casos de emergência oftalmológica

Desde o ano passado, o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) têm reforçado as orientações sobre o uso de pomadas para modelar, trançar ou fixar os cabelos. Em dezembro, os sistemas de informação da Anvisa e o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), do ministério, registraram um aumento substancial nas notificações de eventos adversos e casos de intoxicação exógena, com o cancelamento do registro de cerca de 1,2 mil produtos, que se somam a outros 1,7 mil ao longo do ano passado.

Com a chegada do Carnaval, a pasta se juntou à Anvisa nas ações de comunicação que educam sobre os cuidados necessários. Nas redes sociais do Ministério da Saúde estão sendo divulgados conteúdos voltados para consumidores, profissionais de beleza e trabalhadores da saúde.

Principais cuidados

As pomadas modeladoras são comumente aplicadas na manutenção de penteados, especialmente em tranças, como uma alternativa para aumentar a durabilidade e melhorar o acabamento. Mas, é preciso tomar cuidado para usar apenas produtos que sejam registrados pela Anvisa, lendo atentamente as instruções, se atentando quanto ao uso excessivo e os testes de alergia.

Uma das condições para autorização de venda é que o produto não esteja envolvido em qualquer evento adverso grave desde a sua entrada no mercado. Outro ponto é a composição: unidades que apresentaram concentração superior a 20% do ingrediente Ceteareth-20 em sua composição foram proibidos.

As empresas também têm de apresentar licença sanitária; rotulagem com explicação detalhada, incluindo a quantidade ideal do produto a ser aplicado; avaliação de segurança cutânea e ocular; e declaração ou avaliação que ateste a segurança do cosmético. Outra condição é ter a forma física declarada como “pomada”.

O uso não é recomendado se a pele, os olhos ou outra parte do corpo estiver irritada. Ao lavar os cabelos, tenha cuidado e lembre-se de inclinar a cabeça para trás para que o produto não entre em contato com os olhos e, em caso de contato acidental, lave imediatamente com água em abundância por, pelo menos, 15 minutos.

Sintomas de intoxicação

Os principais sintomas de intoxicação exógena por pomadas capilares incluem coceira nos olhos, vermelhidão, irritação, ardência e inchaço. Em casos mais graves, a visão pode tornar-se turva, especialmente após o contato com a água, uma vez que o produto pode escorrer para a região ocular. Caso perceba alguma dessas condições, é importante procurar assistência médica e não deixar de notificar às autoridades sanitárias.

Como notificar um produto irregular

Caso seja notado algum efeito adverso, recomenda-se que o produto seja guardado para rastreabilidade das informações – como nome da marca e lote – para investigação dos órgãos competentes. A notificação é importante para monitoramento e controle, podendo ser realizada pelo cidadão empresas ou profissionais da saúde . Além disso, qualquer pessoa com CPF pode fazer uma reclamação, seja em seu próprio nome ou em nome de terceiros.

Vale lembrar que a notificação de intoxicação exógena no SINAN é obrigatória para médicos e outros profissionais de saúde e, de forma geral, para os responsáveis por serviços públicos e privados de saúde, que prestam assistência ao paciente.

Via | Ministério da Saúde Foto | Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

Share this content:

(Visited 1 times, 1 visits today)
Ver mais: