Fundamental ao sistema de encanamento, dispositivo é indispensável em ambientes como cozinhas residenciais e industriais, restaurantes e estabelecimentos alimentícios 

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), o setor processa 58% de toda a produção agropecuária do País e gera 1,8 milhão de postos diretos de trabalho, em mais de 38 mil empresas, espalhadas por todo o território nacional. Nesse universo, a limpeza regular das caixas de gordura vegetal dos estabelecimentos ligados à fabricação, comercialização e consumo é crucial para garantir a qualidade dos produtos e serviços e a sustentabilidade ambiental.
 

A caixa de gordura é um dispositivo fundamental para o sistema de encanamento, especialmente em cozinhas de residências, restaurantes e outros estabelecimentos que manipulam alimentos. Atua como um separador, impedindo que gorduras, óleos e partículas sólidas ingressem nos sistemas de esgoto ou fossas sépticas. Seu funcionamento consiste na recepção das águas residuais, separação de gorduras e óleos por meio de estagnação, armazenamento desses resíduos e liberação de águas tratadas. É indispensável a manutenção periódica para evitar obstruções e garantir o correto funcionamento. A caixa de gordura previne complicações nos sistemas de esgoto, contribuindo também para a preservação ambiental, ao evitar a contaminação de corpos d’água naturais.
 

Problemas como mau cheiro, entupimento, transbordamento e presença de vetores que podem provocar doenças são alguns dos inconvenientes causados pela falta de limpeza da caixa de gordura. “A manutenção regular é extremamente necessária, não apenas por ser uma obrigação legal, mas uma prática essencial para manter a conformidade com os padrões de segurança alimentar e preservar a reputação dos estabelecimentos. Além disso, a gestão consciente dos resíduos reflete o compromisso dessas empresas em contribuir para um modelo mais sustentável de atuação”, destaca Lívia Baldo, especialista em gestão de resíduos e gerente da Tera Ambiental.
 

A Tera é especializada no tratamento e na valorização de resíduos orgânicos provenientes de atividades industriais, agroindustriais e urbanas, por meio de soluções como a reciclagem de efluentes e compostagem em larga escala. A empresa está empenhada em conscientizar e estimular a realização adequada da limpeza das caixas de gordura, com o encaminhamento dos resíduos gerados para que, junto a outros tipos de efluentes, possam ser tratados, e o lodo resultante desse processo possa ser utilizado na produção de fertilizantes orgânicos compostos.
 

A campanha da Tera Ambiental é dirigida principalmente a restaurantes, padarias, lanchonetes, bares, shoppings centers, hotéis, hospitais, empresas de terceirização de refeitórios, centros logísticos e instituições acadêmicas e de ensino. Esses são os estabelecimentos com maior potencial de geração de efluentes provenientes das caixas de gordura. É fundamental que os seus gestores tenham ciência de que precisam fazer a limpeza com regularidade.
 

Outro fator importante é que os efluentes da caixa de gordura não podem ser descartados no meio ambiente sem tratamento prévio, pois isso contraria a legislação e os preceitos da sustentabilidade, colocando em risco a saúde da população e expõe os estabelecimentos ao risco de multas e autuações. “Limpar sistematicamente a caixa de gordura é um ato de respeito ao meio ambiente, dado que este resíduo apresenta grande potencial de poluição de corpos hídricos”, finaliza a gerente da Tera Ambiental.

Via | Assessoria Foto | Divulgação

Print Friendly, PDF & Email
(Visited 1 times, 1 visits today)