O uso de inteligência artificial (IA) e dados para melhoria e assertividade nas consultas e diagnósticos continuará em crescimento

O surgimento de novas tecnologias e a escalada da inteligência artificial (IA) prometem revolucionar a maneira como a sociedade se relaciona com a saúde. Especialmente quando falamos de medidas preventivas. Já existem casos de uso nos quais a IA ajudou a melhorar o cuidado com pacientes, agilizar operações e fornecer diagnósticos mais concisos — uma pesquisa da consultoria Accenture, por exemplo, datou que 61% dos profissionais de saúde brasileiros utilizam ferramentas de TI para observar pacientes e otimizar o tempo da consulta.

“Os avanços da medicina, e a transformação digital – que ajuda, e muito, a alavancar inclusive os estudos científicos – já indicam um novo rumo para o futuro da saúde, com a inteligência artificial desempenhando um papel fundamental nesse cenário. Potencializar as habilidades das pessoas, aliando com o poder da IA, é essencial para os atendimentos. Os médicos e enfermeiros, por exemplo, perdem um tempo precioso que poderiam estar dedicando aos pacientes, com tarefas administrativas. Inserir a tecnologia neste cenário pode beneficiar o setor, mas principalmente a atenção dedicada às pessoas”, afirma Vitor Asseituno, presidente da Sami, healthtech revolução dos planos de saúde.

Pensando nisso, o especialista da Sami separou 5 das principais tendências tecnológicas que podemos observar no setor da saúde para 2024:

  • Assistentes virtuais para auxiliar na triagem e processos: assistentes virtuais (ou chatbots) podem ajudar os médicos, fornecendo conselhos sobre tratamentos, diagnósticos e medicamentos. Os pacientes também podem ser amparados, com respostas a perguntas sobre cuidados e informações necessárias para tomadas de decisão. Cada vez mais, os assistentes farão interface com sistemas de registros eletrônicos de saúde e serão usados para marcar e agendar consultas, auxiliando na triagem e processos burocráticos que tomam tempo dos profissionais. A própria Sami já vem desenvolvendo um assistente virtual em parceria com o Google, para reenvio de receitas médicas, por exemplo, e outras atividades administrativas que tradicionalmente tomam tempo dos médicos e enfermeiros.
  • Saúde preventiva: a prevenção é um tópico que ouviremos bastante nos próximos anos. Com a população tendo uma expectativa de vida cada vez mais alta, a tecnologia ajuda com uma mudança de abordagens reativas para proativas, prioridade estratégica para o setor de cuidados de saúde em 2024. A investigação demonstrou que pode criar benefícios a longo prazo para os pacientes, bem como reduzir os custos associados ao tratamento de doenças evitáveis. Os avanços tecnológicos, incluindo a IA, também desempenharão um papel importante aqui, permitindo um alerta precoce e uma intervenção rápida. A Sami trabalha na prevenção, incluindo, por exemplo, acesso a academias nos planos de saúde de seus clientes, e os Times de Saúde trabalham para garantir que os pacientes façam todos os exames preventivos necessários.
  • Telemedicina: a telemedicina e o monitoramento remoto de pacientes, práticas já autorizadas e regulamentadas no Brasil desde dezembro de 2022, se tornarão mais avançados graças à IA. A população pode receber cuidados contínuos em casa via dispositivos vestíveis e aplicativos baseados em IA, oferecendo dados de saúde em tempo real e permitindo consultas online. Com o avanço da Internet das Coisas (IoT), existe a perspectiva de uma “telemedicina 2.0”, que vai além da prestação de cuidados remotos, para uma abordagem com mais elementos e dispositivos para monitoração dos pacientes. 95% das consultas realizadas na Sami são via telemedicina – por escolha dos pacientes.
  • Cuidado personalizado: os algoritmos baseados em IA continuarão a evoluir em 2024. A oferta de planos de tratamento mais precisos e personalizados, baseados em dados genéticos, estilo de vida e histórico médico, aumentará. Isto levará a cuidados de saúde mais eficazes e personalizados para os pacientes. As aplicações mais avançadas estão na genômica, onde a IA é utilizada para analisar o DNA, diagnosticando e tratando doenças. Para isso acontecer, é necessário que as pessoas tenham profissionais que as conheçam muito bem e tenham acesso aos seus dados de saúde, para criar planos terapêuticos personalizados.
  • Saúde mental e saúde física integradas: em 2024, as aplicações de apoio à saúde mental baseadas na IA serão cada vez mais comuns, fornecendo terapia e assistência a indivíduos que enfrentam problemas de saúde mental. O avanço de abordagens integradas evidenciam as ligações intrínsecas entre o bem-estar físico e mental. Nesse sentido, os médicos de cuidados primários, que rastreiam as formas como os problemas de saúde mental podem afetar o tratamento e a recuperação de doenças físicas, contarão com o apoio de tecnologias.

Quer saber mais? Fale com a Pina.

Via | Assessoria Foto | Freepik

Print Friendly, PDF & Email
(Visited 1 times, 1 visits today)