Durante os materiais encontrados, os policiais apreenderam celulares, R$ 17 mil em dinheiro, joias, uma caminhonete e outros dois carros de alto valor e um Jet Ski. Além de vários cartões bancários e documentos.

Um escritório usado para aplicar golpes de estelionato foi fechado, nessa quinta-feira (21), durante a ‘Operação Novo Milênio’, em Cuiabá. Os veículos de luxo dos investigados também foram apreendidos na ação. A Polícia Civil cumpriu três mandados de prisão e quatro mandados de busca e apreensão domiciliar em imóveis ocupados pelos integrantes da associação criminosa.

Durante o cumprimento das buscas, os policiais civis apreenderam celulares, a quantia de R$ 17 mil em dinheiro, joias, uma caminhonete e outros dois carros de alto valor e um Jet Ski. Ainda foram arrecadados vários cartões bancários, documentos e outros materiais que auxiliarão o avanço das investigações.

A investigação começou após várias denúncias de que os investigados integravam uma associação que atuava na prática de golpes utilizando uma plataforma de anúncios.

Três investigados foram presos em flagrante — Foto: Polícia Civil

Três investigados foram presos em flagrante — Foto: Polícia Civil

Segundo as informações recebidas pela delegacia, os suspeitos, sem trabalho formal, se dedicavam exclusivamente à atividade e tinham ganhos ilícitos expressivos. Com os valores, eles adquiriam imóveis, veículos e ostentavam em redes sociais.

As equipes realizaram várias diligências, identificando parte dos integrantes da associação e os veículos e imóveis, bem como o local onde funcionava o escritório de golpes, que ficava no Bairro Novo Milênio, em Cuiabá.

A polícia descobriu um escritório onde eram realizados os golpes — Foto: Polícia Civil

A polícia descobriu um escritório onde eram realizados os golpes — Foto: Polícia Civil

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Marcelo Martins Torhacs, durante uma análise dos aparelhos celulares, os policiais civis identificaram várias vítimas, a maioria de outros estados do país.

A polícia identificou que a associação atuava de forma nacional. Algumas foram ouvidas imediatamente, confirmando terem sofrido golpes. As vítimas tiveram prejuízos expressivos. Uma moradora de Minas Gerais teve prejuízo de R$ 63 mil e outra vítima ouvida mora no Espírito Santo.

Os investigados foram conduzidos à delegacia, foram interrogados e autuados em flagrante por associação criminosa, estelionatos cibernéticos e lavagem de dinheiro.

Via | G1 Fotos | PJCMT

Print Friendly, PDF & Email
(Visited 1 times, 1 visits today)