De acordo com especialista, sistemas de automação residencial oferecem uma gama de ferramentas e dispositivos que podem ser programados e controlados para otimizar o consumo de energia

A automação residencial, cada vez mais acessível e integrada, desponta como uma solução crucial diante da iminente elevação nos custos de energia elétrica. Com a projeção de um aumento substancial de até 10% nas contas de luz a partir de 2024, de acordo com previsões feitas pela Associação Brasileira dos Grandes Consumidores de Energia (Abrace), torna-se essencial explorar maneiras inteligentes de economizar energia, e a automação residencial surge como uma importante aliada nesse cenário.
 

A democratização das casas inteligentes torna-se a prioridade dos principais atores do mercado, garantindo que essa revolução tecnológica esteja ao alcance de todos. O conceito de imóveis inteligentes vem movimentando a economia e despertando o interesse de muita gente, inclusive, dos próprios brasileiros. Os sistemas de automação residencial oferecem uma gama de ferramentas e dispositivos que podem ser programados e controlados para otimizar o consumo de energia. Assim, entre as vantagens, destaca-se a possibilidade de gerenciar remotamente aparelhos e sistemas, ajustando-os de acordo com padrões de uso e horários mais econômicos.

“Um exemplo prático é a gestão inteligente da iluminação, no qual sensores de presença e sistemas de automação permitem que as luzes sejam ligadas e desligadas automaticamente, evitando desperdícios quando não há ninguém presente em determinado ambiente. Além disso, a utilização de lâmpadas LED, associadas a esses sistemas, pode gerar uma economia significativa de energia”, destaca o especialista em automação residencial João Paulo Bizzo, fundador e CEO da startup Smart Imobi – a empresa, inclusive, é reconhecida por redefinir o mercado imobiliário, no qual não se limita a apenas vender imóveis, mas proporcionar uma experiência inovadora oferecendo residências inteligentes sem custos adicionais, inclusive, dentro do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.

Gestão eficiente de eletrodomésticos

Outro fator destacado pelo especialista refere-se ao controle de temperatura de um ambiente, que por meio de termostatos inteligentes, contribui para reduzir o consumo de eletricidade. Esses dispositivos ajustam a climatização conforme a presença de pessoas e as condições climáticas, evitando o funcionamento desnecessário de sistemas de aquecimento ou refrigeração.

“Vale destacar ainda que a automação residencial também permite a gestão eficiente de eletrodomésticos, possibilitando programar horários para o funcionamento de equipamentos como máquinas de lavar, secadoras e lava-louças. Dessa forma, é possível utilizá-los durante períodos de tarifas mais baixas, contribuindo para uma redução significativa na conta de luz”, salienta o CEO da Smart Imobi.

O especialista em automação residencial acrescenta ainda que, diante da perspectiva de aumento dos custos de energia elétrica, investir em automação residencial não apenas proporciona conveniência, mas também se mostra uma estratégia inteligente para economizar energia. “A combinação de dispositivos inteligentes, programação eficiente e controle remoto oferece um caminho viável para reduzir os gastos com eletricidade, contribuindo para um lar mais sustentável e financeiramente consciente”, finalizada João Paulo Bizzo.

Via | Assessoria Foto | Arquivo

Print Friendly, PDF & Email
(Visited 1 times, 1 visits today)