Acidez do ingrediente, que combina com saladas e outros alimentos leves, tem papel importante para tornar as refeições ainda mais refrescantes

Na primavera com temperaturas acima da média, o corpo pede refeições leves e refrescantes. Entre todos os alimentos que combinam com os dias quentes, as saladas, sem dúvida, têm lugar de honra na mesa. Folhas, frutas, legumes, seja qual for a composição do prato, o vinagre natural de maçã é um aliado saboroso. “Mas além do sabor, tanto em receitas salgadas quanto no preparo de sobremesas, a acidez do vinagre de maçã tem papel importante para conferir refrescância aos pratos”, observa Rodrigo Margoni, especialista em vinagres.

Por que um bom prato de salada desperta o paladar nos dias quentes? A atração por alimentos leves e com menor valor calórico encontra explicações no próprio organismo: na primavera e no verão, o corpo não precisa das mesmas calorias do inverno.

No calor intenso, o organismo necessita aumentar a circulação sanguínea por todo o corpo, justamente para que a pele troque calor com o ambiente e mantenha a temperatura corporal em níveis normais. Quando há ingestão de uma refeição pesada, boa parte do volume de sangue é direcionada ao aparelho digestivo para acelerar a digestão dos alimentos, causando mal-estar, cansaço e sonolência.

Entre os ingredientes da salada, prato mais que indicado em tempos de calor, o vinagre de maçã tem baixa caloria e uma substância importante: a pectina. “Esta fibra solúvel está associada à sensação de saciedade”, afirma Margoni. Como tempero, o vinagre se sobressai pela acidez. “Aí unimos a diminuição da fome, pela presença da pectina, e a refrescância da refeição, tão essencial para o organismo em períodos de altas temperaturas”, diz o especialista.

Como sócio-proprietário da Almaromi Viccino, empresa pioneira na produção natural de vinagre de maçã no Brasil, Margoni destaca a preocupação e os investimentos em qualidade. “O Vinagre de Maçã Almaromi que produzimos é 100% natural e não passa por processos de microfiltragem ou pasteurização”, explica. “É um ingrediente que faz diferença no sabor dos pratos e, principalmente, na saúde de quem o consome.”

Além do Vinagre de Maçã Almaromi, a Almaromi Viccino desenvolveu outros produtos de uso diferenciado na gastronomia. O vinagre de coco e o de arroz orgânico se destacam no catálogo.

Recentemente, a empresa colocou no mercado o Vinagre de Mel Orgânico Almaromi. Sem passar por microfiltragem ou pasteurização, o vinagre certificado é produzido a partir da fermentação do mel. O processo de fermentação dura vários meses. “Após esse período, as propriedades do mel são conservadas”, atesta Rodrigo Margoni, que descreve o sabor do produto como aromático e intenso. “Em saladas, vinagretes, molhos de sushi, este vinagre não é apenas um ingrediente, mas uma experiência para o paladar”, conclui o especialista.

Via | Assessoria Foto | Divulgação

Print Friendly, PDF & Email
(Visited 1 times, 1 visits today)