Operadoras de telefonia e Banco Central disponibilizam ferramentas para consumidor consultar irregularidades em seu nome

Com os recursos oferecidos pela internet, ter acesso a dados como CPF e RG de uma pessoa é fácil. Por conta disso, cibercriminosos se aproveitam para ter a linha de celular em nome de outra pessoas, ou até para clonar chips de terceiros. Mas é possível saber por meio do seu CPF se existem linhas pré-pagas ativas cadastradas em seu nome.

As prestadoras Algar, Claro, Sercomtel, TIM e Vivo se uniram em uma iniciativa para que seus clientes possam, através do seu CPF, consultar se há alguma linha “estranha” vinculada à prestadora. Nesse caso, de acordo com a Anatel, o usuário pode posteriormente solicitar o cancelamento da linha.

O resultado da consulta é valido apenas para linhas pré-pagas ativas para o CPF consultado, ou seja, linhas pós-pagas não estão incluídas no serviço de busca.

Caso encontre alguma irregularidade, o consumidor deve entrar em contato com a prestadora de serviço correspondente e solicitar o cancelamento das linhas pré-pagas habilitadas no CPF.

O contato das prestadoras está disponível também no site da iniciativa (veja ao lado), na aba “Contatos Prestadoras”. Lá o usuário pode escolher clicar no link da operadora correspondente para registrar a reclamação e pedir cancelamento da linha.

O pedido de cancelamento deverá ser atendido em até 24 horas, caso a solicitação seja feita por meio de atendente, e em até 48 horas se solicitada no call center ou portal da prestadora, sem a intervenção humana.

A iniciativa é da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que começou com a primeira etapa do projeto em 2019. No ano seguinte, houve a disponibilização do Portal de Consulta de Linhas por CPF.

Como fazer a consulta das operadoras

1 – Acesse cadastropre.com.br;

2 – Na página inicial, vá em “Consultar”;

3 – Em seguida digite seu CPF e clique em “Consultar”;

4 – Caso haja linha pré-paga ativa em alguma Prestadora para o CPF consultado, o resultado trará a relação desta(s) prestadora(s);

5 – Caso não exista celular cadastrador com seu CPF irá aparecer a mensagem “Em todo território nacional, o CPF consultado não possui linha pré-paga ativa nas prestadoras participantes”;

6 – As informações são atualizadas até 30 dias antes do dia da consulta.

‘Investigação’ via Banco Central

Na última terça-feira, a Pesquisa Censo da Fraude, promovida pela Konduto, empresa antifraude para pagamentos on-line da Boa Vista, informou que o estado do Rio foi o segundo do país com mais tentativas de fraudes digitais, com 10,24% das ocorrências entre janeiro e junho deste ano, atrás apenas de São Paulo, líder absoluto com 43,84% das tentativas. Por isso, é importante saber se em algum momento você se tornou vítima de golpistas.

Uma das principais ferramentas disponíveis é o Registrato, do Banco Central. Por lá é possível monitorar a utilização do seu CPF. Caso algum empréstimo tenha sido feito em seu nome, por exemplo, a ferramenta do BC lhe dará essa informação. Basta acessar o site e logar com a sua conta Gov.br.

Via | Extra   Foto | Arquivo

 
(Visited 1 times, 1 visits today)