Comer tarde é pior para quem tem um receptor de melatonina chamado MTNR1B

Jantar em um horário avançado da noite, menos de duas horas antes de dormir, aumenta o risco de diabetes em 50%, de acordo com um estudo feito pela professora Universidade Espanhola de Múrcia Marta Garaulet, em colaboração com a Universidade de Harvard (Estados Unidos) e o Hospital Geral de Massachusetts, em Boston.

A pesquisa indica que jantar em um horário muito próximo da hora de dormir diminui a tolerância à glicose, especialmente naqueles com uma variante de risco genético no receptor de melatonina chamado MTNR1B.

Isso acontece porque a melatonina endógena, que é gerada durante a noite quando o sono se aproxima, está envolvida nas alterações da glicose que ocorrem no metabolismo.

As pessoas que também possuem a variável genética mencionada têm menos secreção de insulina pelo pâncreas quando comem tarde devido à presença dessa melatonina. Os resultados sugerem que, na presença de alimentos, a melatonina faz com que o pâncreas reduza a produção de insulina, o que aumenta os níveis de açúcar no sangue.

De acordo com estudos anteriores de Marta Garaulet, um jantar tardio é considerado aquele que é feito cerca de duas horas antes de dormir, uma vez que o corpo começa a produzir melatonina meia hora antes de se deitar.

A principal novidade do estudo é que foi possível estabelecer a relação entre o funcionamento da insulina no pâncreas e a melatonina.

Via | R7
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta