Além das equipes que atuam por terra, duas aeronaves estão realizando o lançamento de água.

Os bombeiros que estão atuando no combate ao fogo na região de Poconé, no Pantanal mato-grossense, receberam reforço de militares para o combate por terra e de uma aeronave, neste domingo (29).

O fogo na região começou na tarde de sexta-feira (27). Militares suspeitam que criminosos tentaram incendiar uma ponte na Rodovia Transpantaneira, que liga os municípios de Poconé a Porto Jofre, e as chamas se alastraram.

Bombeiros combatem incêndio no Pantanal em Mato Grosso — Foto: Corpo de Bombeiros
Bombeiros combatem incêndio no Pantanal em Mato Grosso — Foto: Corpo de Bombeiros

O incêndio continua ativo e os bombeiros estão em solo para controlar, além do reforço de uma aeronave, lançando 1.800 litros de água nos pontos com maior incidência de fogo a cada decolagem.

Neste domingo, mais uma guarnição de militares foi integrada na operação e uma segunda aeronave da Defesa Civil chegou no local para dar apoio.

Além disso, a Secretaria estadual de Meio Ambiente (Sema) está enviando maquinários para dar apoio aos trabalhos. Geralmente, esses veículo são usados para retirar vegetação seca da linha do fogo e construir e aceiros.

Os primeiros incêndios no Pantanal, neste ano, começaram há uma semana no entanto, haviam sido controlados.

Incêndio criminoso

Os bombeiros combatiam um incêndio no km 103 da Rodovia Transpantaneira quando receberam um chamado sobre um novo incêndio que ocorria na região. Segundo a equipe, há indícios fortes de incêndio criminoso no local.

Os militares disseram ainda que o combate aos incêndios na região é extremamente difícil por possuir poucos acessos/estradas, pela vegetação alta, bem como seca, e por ser uma área com muitos brejos.

A Transpantaneira tem 150 km de extensão e é conhecida por ser um atrativo turístico da região. Ela cruza a maior planície alegável do planeta. Em 2020 a região também teve registros de incêndio.

Um ano após maior incêndio da história

Em 2020, o Pantanal foi atingido pela maior tragédia de sua história. Incêndios destruíram cerca de 4 milhões de hectares. 26% do bioma – uma área maior que a Bélgica – foi consumida pelo fogo. Cerca de 4,6 bilhões de animais foram afetados e ao menos 10 milhões morreram.

Em Mato Grosso, quase 2,2 milhões de hectares foram destruídos e, em Mato Grosso do Sul, 1,7 milhão de hectares, virou cinzas.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a precipitação dos últimos meses na bacia do alto Paraguai ficou abaixo do esperado. O Pantanal não tem uma “cheia” há três anos.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta