Uma jovem de 29 anos morreu na sexta-feira (30) depois de ser picada por uma jararaca – espécie de cobra venenosa -, em Vila Rica (MT). Franciele Bergamin estava em casa quando foi picada no braço, na quarta-feira (28).

Ela foi socorrida e levada ao Hospital Municipal de Vila Rica, onde recebeu soro antiofídico.

No entanto, o quadro de saúde piorou e ela foi transferida para o Hospital Regional de Água Boa e foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O boletim médico diz que Franciele teve edema, choque tóxico, hipotensão, hipotermia, insuficiência renal aguda, entre outros problemas.

Franciele deixou dois filhos, entre eles uma bebê de 3 meses, e o marido.

As jararacas são venenosas e uma das principais responsáveis por acidentes com picadas no Brasil. A coloração da serpente a camufla em meio às folhas secas, dificultando a visualização e aumentando os registros de acidentes com a espécie.

Orientações

A orientação do Corpo de Bombeiros é que, quando for picada, a vítima procure o serviço médico mais próximo para receber o soro antiofídico.

O soro pode ser polivalente, para uso nos casos em que a espécie do animal é desconhecida, ou específico – no caso de identificação da cobra.

É importante levar uma identificação do animal ou até mesmo o réptil (dentro de um local que o armazene com segurança) para facilitar na hora de identificar a picada e administrar o medicamento.

O local da picada deve ser lavado apenas com água e sabão. Não é orientado que se passe algum tipo de medicamento nada ferida até que a mesmas seja avaliada por um médico.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta