O Instituto Butatan anunciou nesta 2ª feira (28.dez.2020) o recebimento do 5º lote da vacina da CoronaVac, produzida em parceria com a Sinovac. O carregamento com 500 mil doses chegou nesta manhã ao Aeroporto de Guarulhos.

O próximo lote de imunizantes está previsto para chegar na próxima 4ª feira (30.dez.2020). Serão mais 1,5 milhão de doses. Segundo o governo de São Paulo, o Estado terá 10,6 milhões de doses até o fim deste mês. Destas, 9,1 milhões já estão com o Butantan.

  • 1º lote – chegou em 19 de novembro, contendo 120 mil doses;
  • 2º lote – chegou em 3 de dezembro, contendo 600 litros granel do insumo, o que corresponde a 1 milhão de doses;
  • 3º lote – chegou em 18 de dezembro, contendo 2 milhões de doses;
  • 4º lote – chegou em 24 de dezembro, contendo 2,1 milhões de doses e 2.100 litros granel do insumo, o que corresponde a 3,4 milhões de doses. Totalizando 5,5 milhões;

EFICÁCIA DA CORONAVAC

Segundo o secretário de Saúde paulista, Jean Gorinchteyn, a vacina anti-covid desenvolvida pela Sinovac não atingiu os 90% de eficácia nos testes realizados no Brasil. “Nós não sabemos o quanto acima de 50% ficou, se foi 60%, 70% ou 80%. Mas eles [os valores] estão em níveis que nos permitem fazer redução de impacto de doença na nossa população”, declarou.

Segundo o secretário, o resultado já era esperado, por causa do método utilizado para a fabricação da vacina, o do vírus inativado. “Elas produzem uma proteção menor. A vacina da gripe tem uma variação que vai de 40% a 80% em determinados grupos.”

Mesmo assim, o laboratório chinês vai rever os números, já que outros países também realizam testes com a CoronaVac e os resultados devem variar. A Turquia, por exemplo, anunciou uma eficácia de 91,25% para o imunizante. A nação de Tayyip Erdogán conduziu os testes com 10 vezes menos voluntários que o Brasil (1.300 X 13.000).

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que em 25 de janeiro começará vacinação contra a covid-19 no Estado. Na data é comemorado o aniversário da capital paulista. A CoronaVac, no entanto, ainda não tem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para ser aplicada. Falta o pedido de registro ser feito pelo Butantan.

Até a publicação desta reportagem, nenhum laboratório havia pedido autorização à Anvisa para o uso (emergencial ou não) de vacina contra o coronavírus. A agência pretende analisar as solicitações para utilização emergencial de imunizantes em até 10 dias depois da data do pedido. É possível acompanhar o andamento neste site.

Via | Poder360

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *