Tribunal da autarquia concluiu que o ato de concentração não apresenta preocupações concorrenciais

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, nesta quarta-feira (18/11), o ato de concentração referente à aquisição, pela Seara, dos setores de maioneses e margarinas da Bunge. Por meio da operação, a Seara adquiriu a capacidade produtiva (fábricas), algumas marcas dos produtos e outros ativos da Bunge.

De acordo com o conselheiro-relator do caso, Sérgio Ravagnani, o ato de concentração não apresenta preocupações concorrenciais em nenhum dos segmentos que ele abrange: maionese, óleo degomado de soja e margarinas. Em sua análise, o relator demonstrou que no mercado de maioneses haverá a mera substituição de agente econômico, com a entrada da Seara no lugar da Bunge.

Com relação ao óleo degomado de soja (insumo utilizado na produção de margarinas e que tem a Bunge como maior produtora nacional), Ravagnani destacou que a operação não altera a disponibilidade dele no mercado. Ficou demonstrado nos autos do processo que há diversos outros fornecedores do produto e vários concorrentes afirmaram não ter dificuldades de obter o oléo.

No segmento de margarinas, por sua vez, o relator verificou que existe rivalidade suficiente para evitar eventual exercício de poder de mercado por parte da Seara. A análise também indicou que a operação terá impacto positivo, tornando o mercado de margarinas mais competitivo e melhorando as condições de distribuição dos produtos.

O Tribunal do Cade seguiu o entendimento do relator e o ato de concentração foi aprovado sem restrições.

Acesse o Ato de Concentração nº 08700.001134/2020-14.

Fonte | Assessoria CADE

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *