Uma paciente de 45 anos, que terá o nome preservado, foi supostamente estuprada por um enfermeiro, em um leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) 2, do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), na madrugada de sábado (17), na Capital. A mulher acordou com o ânus sangrando e uma secreção na vagina, após receber atendimento  durante a noite.

Conforme apurado pelo Repórter MT, a mulher comunicou ao médico do plantão sobre os fatos ocorridos e ele acionou a Polícia Militar (PM).

A UTI ficou cheia de policiais na madrugada de sábado (17), momento em que foi colhido o depoimento da vítima e registrada a ocorrência.

No dia do crime, cinco técnicos e dois enfermeiros estavam de serviço. A equipe estaria no descanso e apenas um enfermeiro estava na UTI no momento em que a mulher foi vítima de violência sexual.

O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher.

Outro lado

A assessoria do HMC informou que a polícia foi chamada imediatamente, no momento, em que a paciente denunciou o caso e que está colaborando nas investigações.

Veja nota na íntegra:

Em relação ao suposto caso de estupro no Hospital Municipal de Cuiabá, a Secretaria Municipal de Saúde informa:

-A diretoria do HMC, assim que soube da situação, chamou imediatamente a polícia, que esteve no local e colheu informações para investigar o caso e está à disposição para colaborar com o que for necessário nas investigações. 

-A paciente teve acompanhamento psicológico e recebeu as medicações indicadas no protocolo para este tipo de situação.

-O HMC ressalta que na UTI onde a paciente estava internada fica sempre uma equipe de plantão composta por 5 técnicos de enfermagem, 1 fisioterapeuta, 2 enfermeiros, 1 médico e 1 supervisor que cuida de todas as UTIs.

Fonte | RMT

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *