Um casal foi preso em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, suspeito de vender licenças ambientais falsas para agricultores do interior de Goiás. De acordo com a Polícia Civil, as equipes suspeitaram dos documentos que eram apresentados durante as fiscalizações nas propriedades, já que apresentavam contradições.

Outro fato que chamou a atenção da polícia, foram as denúncias de agropecuaristas goianos informando que uma pessoa entrou em contato com eles se apresentando como servidor da Secretaria de Meio Ambiente de Goiás.

Segundo os relatos, o falso colaborador dizia que sabia dos processos que estavam em andamento e, para que o documento fosse concedido de forma mais rápida, era necessário realizar uma transferência bancária para a conta de uma mulher.

Cerca de nove agropecuaristas acabaram aceitando a oferta e transferiram os valores, recebendo uma licença ambiental desse suposto servidor. Contudo, ao apresentarem o documento para os fiscais, eles constataram que eram falsas.

Após o início das investigações, a polícia Civil identificou os suspeitos, que moram em Várzea Grande, como os responsáveis pela prática do golpe e pelo recebimento dos valores.

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão na casa dos suspeitos e de prisão.

Com a apreensão dos objetos, a polícia descobriu que o homem conseguia as informações das vítimas diretamente do sistema da Secretaria de Meio Ambiente de Goiás e, que mantinha os dados dos processos disponíveis para o público no site da internet.

Apesar de os investigados responderem pelo crime de estelionato, os agropecuaristas que adquiriram as licenças poderão responder criminalmente pelo uso de documento falso.

Via | G1   Foto | Policia Civil de GO
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta