O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) e pré-candidato ao Senado pelo PTB, Antonio Galvan, faz um alerta sobre o impacto da falta de fertilizantes químicos na produção e consequentemente no aumento dos preços dos alimentos. Para Galvan, o problema vai atingir principalmente as pessoas que recebem até dois salários mínimos.

“O preço para importar fertilizantes está muito mais caro com a guerra entre a Rússia e a Ucrânia. E isso vai refletir em produção menor nas nossas lavouras. Quem mais vai sentir este impacto são as pessoas de baixa renda, que gastam a maior parte de seus recursos para adquirir os alimentos que compõem a cesta básica. O que estamos defendendo vai muito além da redução de custos para produzir. É uma questão de segurança alimentar”, disse Galvan durante uma audiência pública na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal.

Galvan, que é alinhado politicamente com o presidente Jair Bolsonaro, defende a aprovação de pautas prioritárias para o setor produtivo rural, como os projetos de lei do Licenciamento Ambiental, da Regularização Fundiária, dos Defensivos, que já tramitam no Senado, além do PL do Autocontrole, que está prestes a ser apreciado pela Câmara Federal e pode chegar em breve ao Senado.

“Nos reunimos com os deputados e senadores da Frente Parlamentar da Agropecuária e com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e pedimos apoio para solucionar os gargalos da produção. Com o Licenciamento Ambiental poderemos regulamentar a exploração de jazidas de fósforo e potássio que temos em território nacional e reduzir nossa dependência de fornecedores externos. Temos apoio do presidente Bolsonaro para tentar sensibilizar o Congresso Nacional a aprovar com urgência esses projetos para viabilizar a produção, atender a demanda mundial e impedir o aumento dos alimentos”, frisa Galvan.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta