Ao todo, cinco municípios mato-grossenses participaram do evento, organizado pelo Sebrae\MT

Abóbora, abobrinha, mandioca, brócolis, e muito cheiro verde, esses foram alguns dos ingredientes usados pelas dez participantes do desafio das merendeiras, da rede municipal de ensino dos municípios participantes do programa Cidade Empreendedora e Sustentável.

Ao todo, cinco municípios mato-grossenses participaram do evento, organizado pelo Sebrae\MT. O desafio iniciou ano passado nas cidades de Paranaíta, Guarantã do Norte, Marcelândia, Paranatinga e Campo Verde. Desses municípios saíram às classificadas em primeiro e segundo lugar, que competiram no estadual.

As participantes tiveram um tempo cronometrado de 2h para prepararem suas receitas. O trabalho feito pelas cozinheiras impressionou a todos. A vencedora foi Sidene dos Santos Nunes de Oliveira, do município de Guarantã do Norte, que apresentou o prato bobó de frango e espaguete de legumes.

A merendeira, está na profissão há 15 anos. Atualmente ela atende mais de 180 crianças na Escola Novo Horizonte, em uma comunidade rural. Sidene conta que a cozinha faz parte da sua vida desde a infância e para ela o segredo de uma boa refeição é o amor.

“As crianças amam as minhas refeições. Cozinhar para mim é tudo, já vem de família e eu não consigo mais ficar longe da cozinha. Amo muito o que faço e sempre cozinho para as crianças com o maior amor do mundo. Tenho certeza que é esse amor que me fez chegar até aqui e levar o prêmio,” diz a merendeira que mora na zona rural de Guarantã há mais de 40 anos.

O Consultor do Sistema Sebrae, Luis Pivovar explica que o Desafio das Merendeiras começou em Mato Grosso, na cidade de Campo Verde em 2019 e desde o início tem o objetivo de valorizar as merendeiras, que apesar do papel fundamental para auxiliar na saúde e crescimento das crianças, muitas vezes passam despercebidas.

“A gente fala da educação, dos projetos políticos pedagógicos, mas é importante a gente ressaltar que a educação não é só a parte pedagógica, mas tudo que envolve os muros da escola. A manipuladora de alimentos é uma das principais responsáveis pela educação, pois uma criança com fome não aprende e não tem rendimento escolar. Esse é o objetivo do desafio, valorizar quem está nos bastidores, mas tem papel de protagonista nas escolas,” explicou o Consultor.

A cidade de Campo Verde está no Desafio desde a primeira edição. Presente no evento a secretária municipal de Educação Simone Borges contou que a ideia de participar do desafio iniciou porque Campo Verde participa do Projeto Cidade Empreendedora, em parceria do Sebrae.

“Para nós de Campo Verde é um orgulho ser o primeiro município a participar do desafio. Já tivemos muitas melhorias na alimentação das nossas crianças na escola desde que iniciamos essa parceria com o Sebrae. Hoje nós temos um portal da merenda escolar, somos inclusive o primeiro município do estado a ter esse portal, onde a família tem acesso a todas as preparações e conhecer nossos cardápios,” conta a secretária.

O gerente de Conexões Institucionais, Sandro Rossi de Carvalho, disse que o desafio valoriza as merendeiras e também fomenta o uso de alimentos oriundos da agricultura familiar. Carvalho conta entusiasmado sobre a proporção que o desafio ganhou durante os anos.

“Teve competidora que chegou com torcida organizada, caravanas para prestigiar nosso evento, e isso é muito bom pois valoriza nossas merendeiras,” contou o gerente.

Carvalho disse ainda que para o segundo semestre de 2022 já estão programados os próximos desafios municipais, que vão ocorrer nas cidades já participantes do desafio e outras que já garantiram participação como Sinop, Querência, Barra do Garças, Água Boa, Cáceres, Colíder, entre outras.

“Essas cidades participam do Programa Cidade Empreendedora e com isso elas tem acesso a todas essas programações,” finalizou Sandro.

ETAPA ESTADUAL

O secretário de Desenvolvimento Econômico, que atua na Pasta de Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria, Klayton Gonçalves, ressaltou a importância do evento como forma de valorizar a agricultura familiar. Ele contou que em Sinop as merendas escolares já são abastecidas através da parceria público privada com os produtos ofertados pelos agricultores e que a prefeitura vai entrar na próxima competição municipal do Desafio das Merendeiras.

“É uma honra ser anfitrião deste importante evento valorizando cada vez mais as merendeiras, e todos os produtores do campo através do seu plantio. Sinop já está se preparando e vamos participar da próxima edição da competição,” contou entusiasmado Gonçalves.

A secretária de Educação, Sandra Donato, também prestigiou o Desafio e falou da alegria em receber a competição em Sinop. Ela explicou que a cidade já está se preparando para realizar a competição municipal em junho deste ano.

“O Sebrae conseguiu mostrar através desse desafio o quanto as manuseadoras de alimento fazem a diferença na vida das crianças e adolescentes nas escolas. Nossas merendeiras adoraram a ideia e já mostraram interesse em participar do próximo desafio,” contou a secretária.

Há sete anos Eunice Santos é merendeira em uma escola de Sinop. Ela não perdeu nada da competição. Ficou atenta em cada detalhe das competidoras e já mostrou interesse em participar do próximo desafio.

“Assisti a todo o Desafio pois no próximo, quando Sinop participar eu quero me inscrever. As crianças falam que minha comida é muito gostosa, acredito que tenho chances de encantar os jurados com meus ingredientes,” brincou a merendeira.

A disputa ocorreu durante a terceira edição da Norte Show, em Sinop, a maior feira agropecuária da região, realizada pela Associação dos Criadores do Norte de Mato Grosso (Acrinorte) e Sindicato Rural.

Cardápios Escolares

A nutricionista de Paranaíta, Danielle de Oliveira Freiras Cardoso, presente no Desafio explicou que o cardápio nutricional escolar tem objetivo de assegurar a oferta de uma alimentação saudável e adequada, que garanta o atendimento das necessidades nutricionais dos alunos durante o período letivo e apoie o aprendizado dos estudantes.

“É importante destacar que quando organizamos o cardápio escolar precisamos respeitar os hábitos alimentares de cada local e adquirir produtos da agricultura familiar, por isso, esse desafio é de extrema importância, pois além de valorizar nossas merendeiras, fomenta a economia do agricultor,” explicou Cardoso.

A profissional também destaca que os alimentos são escolhidos através de valores e recomendações nutricionais através do Programa Nacional da Alimentação Escolar.

“Nós temos valores nutricional de acordo com a idade da criança e com isso, levamos em consideração a quantidade de carboidrato, proteína, por exemplo. Nós temos quantidade de frutas, verduras e legumes que devem ser inseridas no cardápio,” explica a nutricionista.

Via | Sebrae-MT Foto | Daniel Coutinho
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta