Indicado oficialmente pelo PSB para compor a chapa ao lado do ex-presidente Lula nas eleições presidenciais deste ano, o ex-tucano Geraldo Alckmin já foi um crítico ferrenho da política petista e do ex-presidente Lula. Durante evento nesta sexta-feira (8), Lula disse que sempre houve respeito entre ambos. Nas redes sociais dos políticos, porém, os ataques passados entre os dois ainda seguem ativos.

O embate histórico entre Lula e Alckmin conta com acusações como o ex-governador ter afirmado que o petista quebrou o Brasil e o ex-presidente ter dito que não entende como as pessoas votavam em Alckmin. As principais críticas são do período pré-eleitoral de 2018.

Em dezembro de 2017, por exemplo, o então tucano publicou no Twitter que a ideia de Lula voltar a ocupar o cargo de presidente seria semelhante a um criminoso voltar à cena do crime. “Depois de ter quebrado o Brasil, Lula diz que quer voltar ao poder. Ou seja, quer voltar à cena do crime. Será que os petistas merecem uma nova oportunidade? Fiquem certos de uma coisa, meus amigos: nós os derrotaremos nas urnas.”

O petista, que hoje avaliou ter havido respeito nos embates com Alckmin, publicou outra opinião em julho de 2017: “Eu quando disputei a eleição com o Serra era uma coisa civilizada. Depois com o Alckmin não foi. Ele parece que mamou até os 14 anos”.

Além dos ataques pessoais, há acusações políticas ativas nas redes de ambos. Em mais de uma ocasião, o político, que hoje está no PSB, culpou o ex-presidente pelo número de desempregados no Brasil e analisou que Lula e Bolsonaro são “radicais parecidos”.

Em 2014, Lula escreveu que conversava com as pessoas, e elas reclamavam de temas que iam de segurança a saúde em São Paulo: “A pessoa acorda todo dia reclamando da segurança, do trem, do hospital… Não entendo por que ainda tem gente que vai votar no Alckmin”.

Via | R7
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta