Pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) estão produzindo camarão em água doce, na fazenda experimental da universidade, localizada em Santo Antônio do Leverger. O objetivo é que a região se torne um polo na produção aquícola do produto.

De acordo com o pesquisador e supervisor da fazenda, Márcio Hoshiba, a ideia da criação desse camarão já é antiga, mas o inicio efetivo do projeto foi no ano passado, durante o curso de zootecnia da UFMT.

Atualmente, os pesquisadores estão testando tecnologias de produção no sistema de tanques circulares suspensos, para verificar a viabilidade, desafios e produtividade. Após isso, seguirão para a produção.

“A ideia é que a fazenda experimental da UFMT seja uma unidade modelo demonstrativa para replicar a tecnologia para quem tiver interesse. Também estamos abertos a todas as empresas que quiserem realizar alguma parceria para alavancar essa cadeia produtiva no estado”, explicou Márcio.

Segundo Márcio, a produção inicial será destinada aos projetos de pesquisa, ensino e extensão da universidade. O Núcleo de Estudo em Pescado é composto por biólogo, veterinário, zootecnista e cientista do alimento, que estudam a cadeia produtiva como um todo.

Animais são criados em fazenda experimental que fica em Santo Antônio de Leverger — Foto: UFMT

Animais são criados em fazenda experimental que fica em Santo Antônio de Leverger — Foto: UFMT

“Os estudos serão realizados envolvendo todos as variáveis produtivas para garantir um produto final de excelência, do campo a mesa”, disse.

O pesquisador afirmou que Mato Grosso se destaca em diversas características para a aquicultura, dentre elas o clima, localização estratégica e disponibilização de insumos para a alimentação.

“A criação de camarão pode se tornar uma nova opção de renda para o produtor, assim como mais uma nova opção de produto final produzido diretamente na região”, pontuou.

O camarão ‘M. rosenbergii‘, conhecido como camarão da Malásia, pode atingir 32 cm de comprimento e 500 gramas de peso, porém são comercializados com peso médio em torno de 20 a 60 gramas. O tamanho comercial, geralmente, é atingido no sexto mês de criação.

Os pesquisadores apontam que a criação de espécies de camarão de água doce tem como vantagens a possibilidade de produção em áreas afastadas das zonas costeiras; podem ser produzidos em pequena ou em grande escala; possuem a alternativa de criação em consórcio com agricultura ou em policultivo.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta