A partir de uma auditoria de conformidade, o Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) identificou uma série de deficiências na área de tecnologia da informação (TI) das Prefeituras de Rondonópolis e Sinop. Sob relatoria do conselheiro Guilherme Antonio Maluf, o processo foi apreciado pelo Pleno na sessão ordinária desta terça-feira (29).

A auditoria teve por intuito avaliar a governança de TI referente ao exercício de 2020 em Rondonópolis e Sinop, com o objetivo de identificar o nível de maturidade da gestão de tecnologia da informação do ponto de vista de governança e das boas práticas na área.

Em seu voto, o relator apontou que os recursos destinados à área de TI vêm numa crescente acentuada nos dois municípios, sendo que a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019 de Sinop destinou R$ 10,3 milhões para tecnologia da informação e a de Rondonópolis, R$ 2,7 milhões.

No entanto, foram identificadas deficiências como ausência de planejamento, de comitê gestor de TI em Rondonópolis e inexistência de atuação do comitê instituído em Sinop, município no qual verificou-se ainda que as contratações na área não estão alinhadas com as diretrizes definidas.

“Outro ponto crítico constatado se refere ao nível de controle de gestão dos bancos de dados dos municípios, os quais são delegados para terceiros, que gerenciam, inclusive, o acesso a essas informações, dando autorização a novos usuários, bem como definindo o nível de acesso destes”, asseverou o conselheiro.

Ainda conforme o relator, observou-se também uma despreocupação dos municípios auditados com o desenvolvimento profissional dos servidores da área de TI, inexistindo plano de capacitação.

Diante dos achados, em sintonia com a unidade técnica e seguindo o parecer ministerial, o conselheiro votou no sentido de conhecer a auditoria de conformidade e expedir determinações e recomendações às atuais gestões de Rondonópolis e Sinop.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta