Diante do recente e preocupante aumento nos indicadores de casos de dengue na cidade o Departamento da Vigilância Ambiental de Rondonópolis vem a público fazer um apelo às pessoas, principalmente proprietários de terrenos e donas de casa, para que fiquem atentos e mantenham limpos seus quintais e terrenos livres de fontes que possam acumular água parada, como em pneus, vasos de plantas, sacos plásticos e vasilhames em geral, que possam servir de criadouros do mosquito Aedes Aegypti, vetor da dengue.

O período chuvoso normalmente proporciona ambiente favorável a procriação do mosquito, que prefere águas paradas e limpas, associado ao clima quente. Com o descaso das pessoas, a situação acaba saindo do controle, apesar dos esforços da Vigilância Ambiental e Agentes de Endemias.

Segundo o Gerente da Vigilância Ambiental de Rondonópolis Wagner Santos, pelo menos 16 equipes da sua pasta estão espalhadas pelos quatro cantos da cidade, realizando fiscalização e controle do mosquito da dengue, bem como de outros vetores de outras doenças como: Zica, Chikungunya e Leishmaniose (mosquito palha). “Nossas equipes estão espalhadas pela cidade fazendo esse trabalho importante de fiscalização, controle e combate ao mosquito da dengue, mas é preciso que as pessoas colaborem e nos ajudem nessa luta. Se uma dona de casa deixa de cuidar do seu quintal, o mosquito pode se procriar e se espalhar pela vizinhança toda, trazendo perigo a saúde das pessoas”, alerta Wagner.

Ainda segundo ele, as equipes também estão fiscalizando a limpeza dos terrenos baldios e construções abandonadas, não apenas nas áreas consideradas nobres, mas também nos bairros mais populares, onde infelizmente, os números também ainda são bem altos.

APELO ÀS IMOBILIÁRIAS

Wagner Santos faz um apelo aos proprietários de terrenos e donos de imobiliárias para que cuidem dos seus terrenos e não os deixem sem limpeza e cheios de mato, pois segundo consta, essas áreas com lixo ou matagal acabam influenciando outras pessoas irresponsáveis a realizarem o descarte irregular de detritos e resíduos sólidos criando bolsões de lixo que por sua vez, geram mais problemas para as comunidades no seu entorno, e ainda mais despesas para o poder público para mantê-los limpos.

O gerente da Vigilância Ambiental repassou que vai pedir ajuda a Secretaria de Receita para identificar os proprietários que não cuidam dos seus terrenos, e notificá-los para que cumpram com a sua obrigação legal que é manter suas propriedades limpas e ajudar a manter a cidade limpa.

Ainda segundo Wagner, nesta quinta-feira (30) os agentes de endemias localizaram vários pontos considerados críticos – piscinas cheias de larvas do mosquito da dengue na região dos residenciais Jardim Morumbi, Laranjeiras e Carlos Bezerra; Vila Aurora e Granville entre outros.

Conforme consta, na região do residencial Carlos Bezerra, os agentes localizaram vários pontos críticos, o que torna a situação ainda mais complicada, pois antigamente, a maioria dos casos acontecia nas regiões chamadas nobres da cidade, por conta das piscinas etc.

“Agora o perigo ronda todos os cantos da cidade, e ainda conforme os nossos agentes de vigilância qualquer quintal, qualquer terreno não cuidado pode se tornar um criadouro do mosquito da dengue e isso nos preocupa. As pessoas ficaram o tempo todo preocupadas apenas com a Covid e se esqueceram da dengue que acontece todo ano nesse período de chuvas”, ressaltou Wagner.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta