O Comitê de Gestão de Crise se reuniu no final da manhã desta terça-feira (29) na sala de reuniões do Paço Municipal e decidiu em votação, pela flexibilização do uso de máscara de proteção em ambientes abertos, mas manteve a obrigatoriedade da mesma em ambientes fechados.

Uma proposta mais radical foi apresentada na forma de um Projeto de Lei na semana passada na Câmara Municipal, onde uma intervenção do vereador Dr. Jhonas Rodrigues integrante da CCJ- Comissão de Constituição e Justiça do Poder Legislativo, alterou o conteúdo e definiu através de uma emenda, que a flexibilização do uso da máscara de proteção, seria apenas em ambientes abertos, e por precaução, continuaria a obrigatoriedade da mesma em ambientes fechados. O projeto foi então votado, aprovado e encaminhado para a sanção do prefeito.

Todavia, como cabe ao Comitê de Gestão de Crise, decidir ações de combate, enfrentamento e prevenção da pandemia, o prefeito José Carlos do Pátio convocou a reunião e optou por acatar a sugestão da Câmara, apesar do voto contrário da Secretária de Saúde, Izalba Albuquerque Diva.
A secretária justificou que como sendo uma gestora sanitária de saúde, não poderia se manifestar a favor da flexibilização total do uso da máscara e nem se sentiria a vontade ainda, sabendo sobre a circulação do vírus na cidade.

Além da pauta da flexibilização, o Comitê de Crise definiu ações de vacinação de reforço ou a 4ª dose de vacina contra a Covid para maiores de 70 anos, bem como anunciou para os próximos dias, o início da vacinação contra a Gripe Influenza (H1N1 e H3N2), começando pelas pessoas acima de 60 anos, bem como o público alvo específico de crianças, agentes de saúde, etc.

Outro ponto discutido e votado na reunião, tratou da continuidade da fiscalização e exigência do Passaporte ou Carteira de Vacinação atualizada para o acesso a instituições públicas ou privadas com grande circulação de pessoas.

Izalba destacou ainda que a flexibilização do uso da máscara em ambientes abertos, não desobriga a pessoa a não usar: isso é opcional. “Se por qualquer razão, como comorbidades, sintomáticos respiratórios ou outro fator qualquer, a pessoa se sentir desconfortável, insegura, eu aconselho que use a máscara, mesmo em ambientes abertos, já que o vírus continua em circulação. E não usá-la em ambientes abertos é opcional”, explicou a gestora de saúde.

VACINAÇÃO EM CRIANÇAS

Durante a coletiva de imprensa Izalba falou ainda sobre a vacinação contra a Covid. Ela reforçou o pedido para que as pessoas procurem os postos de vacina e imunizem seus filhos, bem como solicitou a quem ainda não se vacinou, ou não completou o ciclo vacinal, que também o façam e se imunizem. “Estamos preocupados, porque estamos chegando a um período do ano (Outono) onde tradicionalmente aumentam os casos de crises e síndromes respiratórias (gripe e resfriados) em crianças e idosos, e até hoje atingimos pouco mais de 67% de vacinação em crianças de 5 a 11 anos, apesar de todos os nossos esforços”, disse Izalba.

E continuou: “nos adolescentes de 12 a 17 os indicadores apontam um índice vacinal de 91%; assim como nos adultos maiores de 18 anos onde também registramos a mesma marca 91%”, destacou.

Segundo a secretária “ainda existem muitos casos de pessoas que não se vacinaram; outras tomaram apenas a primeira dose e ainda muitas outras que tomaram apenas duas doses e não completaram o ciclo vacinal, e a vacinação, é comprovadamente o meio mais seguro de proteger e preservar a saúde das pessoas”, finalizou.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta