Uma iniciativa de incentivo ao hábito de caminhar na natureza em Mato Grosso vem conquistando os turistas que se aventuram pelo morro de Santo Antônio do Leverger. O desafio é percorrer a pé por 100 km durante cinco dias e, em outra rota, andar 50 km por dois dias.

A ideia da empreendedora rural Mirian Ferraz, de 51 anos, começou a angariar turistas e apoio dos moradores da região no final do ano passado, quando a sua propriedade foi aprovada para operar este tipo de atividade ao ar livre.

Ela contou que vê a caminhada na natureza além do hábito saudável.

“Além de melhorar as funções vitais, isso nos proporciona um prazer de contemplar a natureza e reduzir o estresse do dia a dia. Ou seja, nos proporciona equilíbrio de corpo e alma”, disse.

No comércio da região, há um carimbo para os turistas irem coletando e, no fim da caminhada, todos que completaram o trajeto recebem um certificado.

Para além dos benefícios individuais, o incentivo às caminhadas fomenta o turismo local, o que consequentemente se reverte em emprego e renda para a população local.

Neste ano, a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) pretende lançar mais 10 projetos semelhantes ao de Mirian no estado.

Segundo o agente técnico da Empaer, Geraldo Donizeti, de 62 anos, as iniciativas são uma alternativa ao agricultor, que traz uma nova utilidade ao consumo combinado com turismo local.

“A ação busca promover agricultura familiar junto à comunidade. A gente faz isso montando uma feira de agricultura familiar na largada da trilha e também criando um espaço de convivência”, disse.

Em março, Geraldo contou que a Empaer irá lançar uma nova trilha de caminhada em Tangará da Serra. Um circuito em março e o segundo, em outro semestre. Segundo ele, todas serão autoguiadas e se tornarão permanentes.

“Buscamos incentivar a caminhada na natureza para mostrar Mato Grosso aos mato-grossenses”, afirmou.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta