A Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, em parceria com o Coletivo Herdeiras do Quariterê, premiou o Instituto Professora Coraci com o 1º Prêmio Mato-grossense Tereza de Benguela. A cerimônia aconteceu no teatro Zulmira Canavarros.

O fundador do Instituto Coraci, professor Everton Neves, diz que o prêmio é uma surpresa, mas que se sente feliz pela equipe de pessoas e parceiros que acreditam no trabalho. “Nosso trabalho é feito por muitas mãos, total engajamento social e por tal muitos desafios. A seara é grande e precisamos fazer avançar as políticas públicas de geração de emprego e renda, qualidade na educação, ciência, inovação e tecnologia e a promoção da cultura, assim nossas famílias atendidas terão qualidade de vida. É este nosso desafio, mas estamos muito felizes com a lembrança do nome da Professora Coraci e de nossa doação para este projeto”.

A Professora Coraci, faleceu em 2012, sendo mulher negra, de empregada doméstica à professora. Criou seus dois filhos e como educadora alfabetizou centenas de crianças nas cidades de Rondonópolis e Guiratinga. A Educadora Coraci deixou um legado de compromisso com a Educação, transparência e retidão.

Entre as mais de 160 pessoas agraciados com Moção de Aplausos e de uma honraria ancestral a homens e mulheres em celebração ao Dia da Consciência Negra, o Instituto recebeu uma honraria ancestral, tendo em vista os trabalhos e as ações sociais realizados no Estado de Mato Grosso.

A Presidenta e co-fundadora do Coletivo Herdeiras do Quariterê e criadora do Prêmio Mato-grossense Tereza de Benguela, professora doutora Silviane Ramos Lopes, ressaltou a importância de o prêmio ser exclusivo para mulheres negras que fazem ou fizeram a diferença para o Estado de Mato Grosso. “A ideia é reconhecer o empoderamento das mulheres negras. Elas estão em todos lugares com seus trabalhos, com suas músicas, artesanatos, projetos, artes, com suas culinárias, pesquisas, rezas, danças, enfim, com seus corpos, com suas atividades que geram renda e fazem ecoar suas potencialidades”.

“Na data que marca do Dia da Consciência Negra estamos premiando personalidades que estão ajudando no movimento negro. A gente sabe da grande dificuldade e a diferença que existe ainda infelizmente no nosso país e a gente precisa trabalhar ações e políticas públicas, eventos, movimentos e chamar esse debate”, diz o presidente da ALMT, deputado estadual Max Russi (PSB).

O secretário nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Paulo Roberto, prestigiou o evento. “Não se pode negar o racismo, o preconceito, a discriminação e a intolerância religiosa. É preciso olhar para o passado para ver de onde veio tudo isso, tudo tem uma raiz. Sem isso, não podemos combater a discriminação, sem ver de onde veio tanta desigualdade”, pondera. Esteve no evento a primeira-dama do Estado, Virgínia Mendes, o senador Wellington Fagundes, além de outras autoridades.

 Assim, ainda reverbera o prêmio para a comunidade negra, algo inédito, necessário e marcante. O Instituto Coraci parabeniza e agradece.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta