Oito pacientes que aguardavam pelo tratamento cirúrgico da obesidade, sendo seis casos de alta complexidade, foram operados nesta quinta-feira e sexta-feira (02 e 03 de dezembro), no Hospital São Mateus, em Cuiabá.

Cirurgiões bariátricos de sete estados do Brasil foram convidados para acompanhar os procedimentos, entre eles, três ex-presidentes da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) .

As cirurgias foram acompanhadas ao vivo por cirurgiões de todo o país durante o 1º Simpósio de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, organizado pela regional do Mato Grosso da SBCBM.

Segundo o coordenador da ação e presidente do Capítulo Mato Grosso, Dr. Juliano Canavarros, o objetivo principal foi proporcionar resultados ainda melhores para os pacientes, devido a complexidade dos casos, e ainda, permitir que outros cirurgiões pudessem acompanhar a realização de técnicas avançadas.

“Trouxemos para Cuiabá convidados importantes e altamente renomados. Tivemos seis cirurgias em pacientes com alterações anatômicas, mas que nos possibilitava oferecer a eles uma melhor qualidade de vida, sendo que outras duas cirurgias foram primárias”, comenta Canavarros.

Obesidade no MT – No Mato Grosso, segundo a última pesquisa Vigitel do Ministério da Saúde, realizada em 2020, o percentual de adultos com obesidade registrado foi de 24% .

Para o presidente da SBCBM, Fábio Viegas, a ação realizada em Cuiabá é social e científica, tendo em vista que visa uma maior preocupação com os pacientes e também com os cirurgiões que puderem acompanhar ao vivo os procedimentos.

“A cirurgia bariátrica não é cirurgia para principiantes. Quanto mais treinada, capacitada e habilitada a equipe estiver mais seguro o paciente estará para a realização destes procedimentos e, inclusive, temos processos de certificação e acreditação para isso”, explica Viegas.

Segundo ele, com a iniciativa do Capítulo do Mato Grosso cirurgiões de todo o Brasil tiveram a oportunidade de conhecer a padronizações de técnicas, uso de tecnologias e de acompanhar cirurgiões experientes em situações adversas resolvendo problemas sérios.

“É muito importante para a segurança do paciente que o seu médico tenha alto fluxo de cirurgias, além de ser membro da Sociedade Brasileira”, complementa Viegas.

Obesidade x pandemia – O Brasil é hoje um dos países com a mais alta taxa de pessoas com obesidade no mundo.

No entanto, com a pandemia o quadro se agravou. Para que se tenha ideia o número de cirurgias bariátricas realizadas pelo SUS caiu em 69,9% em um ano, saindo de 12.568 em 2019, para 3.772 em 2020. Em 2021, até o mês de julho, foram realizadas 990 cirurgias pelo Sistema Único de Saúde. A realização de cirurgias pelos planos de saúde também caiu 11,9%, saindo de 52.599 procedimentos realizado em 2019, para 46.419 cirurgias em 2020.

Em contrapartida, a recente pesquisa Diet & Health Under Covid-19, que entrevistou 22 mil pessoas de 30 países, identificou que foram os brasileiros os que mais ganharam peso durante a pandemia de COVID-19. Aqui, cerca de 52% dos entrevistados declararam ter engordado. A média global é de apenas 31%. Ainda segundo a pesquisa, os brasileiros ganharam, em média, cerca de 6,5 quilos neste período.

De acordo com a última Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde, um em cada quatro adultos está obeso. São 29,5% das mulheres e 21,8% dos homens.

A obesidade impacta diretamente na saúde global dessa população. Existe uma série de comorbidades como, por exemplo, diabetes, hipertensão, doenças nas articulações – que podem surgir ou se agravar diante do excesso de peso.

Contribuição científica – Participaram dessa ação o vice-presidente executivo da SBCBM, Dr. Luiz Vicente Berti; o ex-presidente da SBCBM e atual diretor científico, João Caetano Marchesini; o ex-presidente da SBCBM, Dr. Marcos Leão; o presidente do Capítulo São Paulo da SBCBM, Dr. Tiago Szego; o presidente do Capítulo Goiás da SBCBM, Dr. Leonardo Sebba; o presidente do Capítulo Mato Grosso do Sul, Dr. Wilson Cantero; e o diretor médico da SBCBM, Dr. Luiz Fernando Córdova.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta