Prefeituras temem nova onda de Covid e decidem não realizar eventos no próximo ano. Na capital paulista, gestão municipal mantém cronograma e quer criar comitê com Recife, Salvador, Rio de Janeiro e Belo Horizonte para tomar decisões de forma conjunta.

Ao menos 71 cidades do estado de São Paulo decidiram cancelar o carnaval em 2022 por conta da pandemia de coronavírus.

Entre elas, estão Botucatu, Sorocaba, Mogi das Cruzes, Poá e Suzano. Também foi cancelado o tradicional carnaval de São Luiz do Paraitinga, que leva multidões às ruas. Será o segundo ano consecutivo que o evento não ocorrerá nesses municípios.

Embora as taxas de ocupação estejam baixas e os índices da doença registrem melhoras no comparativo com os piores meses da pandemia, na avaliação de alguns gestores municipais, o momento é de cautela.

As prefeituras temem que a folia possa gerar uma nova onda de contaminação do coronavírus e volte a elevar o número de casos e óbitos.

A média móvel diária de mortes é de 72 nesta terça-feira (23) no estado de São Paulo. O valor é 15% maior do que o registrado há 14 dias, o que para especialistas indica tendência de estabilidade. Já a média diária de casos é de 1.400, valor 33% maior do que o de 14 dias, o que aponta tendência de alta.

Outra justificativa citada é a situação econômica de alguns municípios, que alegam não ter verba para a festa.

Em Sorocaba, por exemplo, a prefeitura comunicou às escolas de samba que não vai disponibilizar recursos públicos para o evento, mas escolas estão se organizando para fazer um carnaval paralelo — permitido pela gestão municipal.

Taubaté também cancelou o evento oficial, mas permitiu que cada escola organize sua própria festa dentro de suas respectivas sedes. Já em Jundiaí foi proibido qualquer tipo de festa.

Na capital paulista, o cronograma segue mantido. No início do mês, a prefeitura recebeu 867 inscrições para desfiles de blocos de rua.

A realização da festa depende da situação da pandemia, mas a gestão municipal já sinalizou que o evento deve ocorrer sem restrições sanitárias. A previsão é a de que 15 milhões de pessoas participem do Carnaval 2022 na capital paulista.

Segundo a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional de São Paulo, as cidades têm autonomia para decidir sobre a realização do evento e não precisam informar a gestão estadual.

Criação de comitê

O prefeito Ricardo Nunes (MDB) quer montar um comitê interdisciplinar entre as cidades que realizam os maiores carnavais do país, como São Paulo, Recife, Salvador, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, para tomar decisões de forma conjunta.

O comitê teria como objetivo garantir ações de monitoramento e formulação de políticas de saúde que cumpram recomendações sanitárias para realização de um carnaval seguro do ponto de vista da pandemia. São Paulo, Rio e Recife já aderiram à ideia.

Veja a lista das cidades paulistas que já decidiram cancelar o carnaval:

Altinópolis
Amparo
Barrinha
Borborema
Botucatu
Brodowski
Cabreúva
Caconde
Cajuru
Campo Limpo Paulista
Cássia dos Coqueiros
Cunha
Dobrada
Dumont
Franca
Guaíra
Guariba
Guatapará
Iacanga
Ibitinga
Itápolis
Itatiba
Itupeva
Jaboticabal
Jacareí
Jarinu
Jundiaí
Lins
Lucélia
Luís Antônio
Marília
Mairinque
Mogi das Cruzes
Monte Alto
Monteiro Lobato
Natividade da Serra
Nazaré Paulista
Paraibuna
Pirassununga
Pitangueiras
Poá
Potirendaba
Pradópolis
Presidente Prudente
Rifaina
Roseira
Salesópolis
Sales Oliveira
Santa Cruz da Esperança
Santa Ernestina
Santa Isabel
Santa Rosa de Viterbo
Santo Antônio da Alegria
Santo Antônio do Pinhal
São Bento do Sapucaí
São Caetano do Sul
São Joaquim da Barra
São Luiz do Paraitinga
São Simão
Sorocaba
Suzano
Taquaritinga
Taubaté
Ubatuba
Várzea Paulista
Espírito Santo do Turvo
Itapetininga (o desfile de rua foi cancelado, mas outros eventos estão permitidos — inclusive apresentação das escolas de samba, só não na rua)
Louveira
Monte Alegre do Sul
Valinhos
Vinhedo

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta