A Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal e a Europol, deflagrou na manhã desta quinta-feira (18) a Operação Calvary, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa dedicada ao tráfico internacional de cocaína e lavagem de dinheiro.

Cerca de 150 policiais federais e 8 servidores da Receita Federal participam da ação. Ao todo, são cumpridos 36 mandados de busca e apreensão, 6 mandados de prisão preventiva, 4 mandados de prisão temporária e 7 mandados de interdição de atividade econômica nos estados de São Paulo, Bahia, Mato Grosso, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Os mandados foram expedidos pela 6ª Vara Federal de São Paulo e englobam ainda o sequestro de 28 imóveis localizados em quatro estados, diversos veículos, incluindo carros avaliados em mais de R$ 600 mil, e valores custodiados em contas bancárias de 53 pessoas físicas e jurídicas, também de contas abertas em Portugal e na Bélgica.

Houve ainda a determinação de sequestro de um navio, que pertence ao grupo criminoso investigado e seria utilizado no transporte de cocaína. Também uma rede de postos de combustível na Bahia foi interditada. Estima-se que os bens apreendidos durante a investigação superem R$ 50 milhões.

Investigação

As investigações, que tiveram início em janeiro, revelaram a existência de organização criminosa com atuação em remessas de cocaína para Europa, por meio, principalmente, de embarcações transoceânicas.

A polícia comprovou que o grupo articulou a exportação de 2.700 kg de cocaína, em outubro de 2020, a partir do Porto de São Sebastião, no litoral paulista, utilizando o navio denominado UNISPIRIT, que tinha como destino a cidade de Cadiz, na Espanha.

No entanto, parte da droga foi apreendida no Brasil durante fiscalização. Os outros 1.200 kg foram localizados na Espanha.

Nas investigações, foram determinados afastamentos do sigilo bancário e fiscal de 66 pessoas, incluindo 39 pessoas jurídicas suspeitas de lavagem de dinheiro.

A operação foi batizada de Calvary em alusão ao cemitério no qual Don Corleone, do filme “O Poderoso Chefão I”, foi sepultado. Isto porque, segundo a polícia, o líder da organização é chamado pelos demais integrantes do grupo de “Don”, uma referência ao personagem.

Via | R7
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta