O ano de 2021 termina com um legado de dignidade e humanização para o rondonopolitano. A boa notícia foi dada nessa quinta-feira (11), em coletiva de imprensa concedida pelo prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, em seu gabinete, no Paço Municipal, quando anunciou a emissão de licença ambiental pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Mato Grosso (Sema-MT) para o loteamento Alfredo de Castro II, localizado ao lado do Residencial Alfredo de Castro I.

Acabei de receber da Sema mais dois mil lotes que ela aprovou e a Prefeitura comprou a área para assentar o Alfredo de Castro II”, disse o prefeito, que ainda comentou: “Este ano foi muito difícil para nós todos. Foi um ano de muita dor. E eu decidi que até o final do ano vamos assentar quatro mil famílias que nunca tiveram casa para morar, que nunca tiveram um lar, sendo dois mil lotes no Alfredo de Castro II”.

Pátio explicou a distribuição desses assentamentos e conjuntos habitacionais: “Das quatro mil famílias, nós já assentamos 500 no Jardim Maria Amélia, onde, hoje, estamos colocando redes de energia elétrica, de água, de esgoto e já começamos a fazer as galerias de água pluvial. E vamos entregar 1.500 apartamentos. São obras que estavam há mais de dez anos paradas e foram retomadas com o apoio financeiro do Município, que está fazendo todo o sistema da rede de esgoto”, afirmou sobre as moradias do Residencial Celina Bezerra e elencou: “Então, são 1.500 apartamentos, dois mil lotes urbanizados no Alfredo de Castro II e 500 lotes urbanizados no Maria Amélia. Ao todo, quatro mil famílias que vão ser beneficiadas”.

Esses projetos tomaram corpo a partir da integração dos vários poderes. Também presente na coletiva, o vereador Cido Silva declarou: “A Câmara tem sido parceira na questão dos conjuntos habitacionais e dos assentamentos sociais que José Carlos do Pátio tem implantado na cidade. Quero parabenizar o prefeito e sua equipe da Secretaria da Habitação, o deputado Sebastião Rezende, que tem se reunido com a Sema, trabalhando com empenho para liberar as licenças. Afinal, quando os poderes se juntam em torno de um objetivo comum é mais fácil atingi-lo”.

Para ter direito ao lote é preciso estar inscrito no cadastro da Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo, tendo comprovado baixa renda. Alguns perfis serão contemplados com esses programas, que têm critérios específicos para definir o público beneficiado, conforme pontuou o mandatário do Executivo local: “Estamos pegando o pessoal que está na beira do córrego, os ribeirinhos e aqueles que têm cadastro, isto é, o pessoal que tem o perfil. E quem já recebeu está registrado no sistema e não pode receber mais, de acordo com a lei. Agora é a vez de quem ainda não tem uma casa para morar. Existe um sistema de habitação nacional. Assim, fazemos um controle tanto municipal quanto em nível nacional”.

Acompanharam Pátio no encontro, além de Cido Silva, o deputado estadual Sebastião Rezende, o diretor da Regional Sul da Sema, Ailton Fonseca, e a secretária de Habitação e Urbanismo, Huani Rodrigues.

Via | Assessoria   Foto | Kawê Pires
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta