As chuvas que tem caído na região de Poxoréo, cabeceira do Rio Vermelho nos últimos dias, trouxeram alívio, melhorando a sensação de calor e abafamento na cidade, além de elevarem o nível das águas do Rio Vermelho, que saiu da condição crítica em que estava, tendo chegado a apenas 0,80 cm de lâmina d’água durante a medição efetuada no dia 1º de outubro. Nesta terça-feira (09), uma notícia boa, o nível do rio dobrou em comparação a última medição, chegando a 1,60 cm.

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Rondonópolis vem realizando o acompanhamento e efetuando medições rotineiras do nível das águas do Rio Vermelho que é considerado a principal fonte de abastecimento de água na cidade.

Devido a estiagem prolongada de mais de 90 dias, a Defesa Civil chegou a registrar em outubro, apenas 0,80 cm de lâmina d’água no Rio Vermelho, considerado o nível mais baixo dos últimos anos desde que as medições passaram a ser registradas e documentadas.

Lembrando que essa medição de hoje (09/11), representa 0,25 cm da lâmina d’água há mais que o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 1,35 m no dia 04/11/2020.

Na ocasião, o acompanhamento das medições registrou uma redução de 0,20 cm da lâmina d’água em apenas sete dias, o que deixou as autoridades locais em alerta, pois caso a situação não se normalizasse, poderia comprometer a captação e distribuição de água em boa parte da cidade apesar dos superpoços artesianos que reforçam o abastecimento da região urbana do município.

Por sorte a temporada das chuvas chegou pra valer e a situação que antes era considerada crítica e preocupante, praticamente se normalizou e deve seguir assim, com eventuais elevação de nível, dadas as chuvas torrenciais esperadas para o período, pelo menos até março do ano que vem.

Todavia, o Coordenador da Defesa Civil, João Garcia ou João Mototáxi, pede as pessoas que não desperdicem água. Bastante precavido, o coordenador já pensa em reunir forças políticas e sociedade para abrir o debate antecipando as discussões para a recorrente situação de estiagem no próximo ano, e que infelizmente, se repete todos os anos.

LAGO DO ARAREAU

Uma das propostas que vem ganhando corpo junto a sociedade é a discussão da construção do “Lago do Arareau”, que seria a criação de um grande reservatório de água ou reserva hídrica na forma de um lago nas proximidades da nascente do Córrego Arareau, que ainda poderia ser explorado economicamente, através da indústria do turismo, nos moldes do “Lago de Juscimeira e do Manso”, na região de Chapada dos Guimarães (MT), gerando oportunidades de emprego e renda, e ainda seria a redenção do município na questão do abastecimento de água potável.

Segundo alguns ambientalistas, um lago como o do Arareau, poderia servir de reserva hídrica e reabastecer o lençol freático da região, que vem sofrendo bastante com a abertura indiscriminada de poços artesianos na região.

 

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta