O Prefeito Zé Carlos do Pátio, se reuniu com diretores de mais duas instituições assistenciais na tarde desta segunda-feira (27), onde assinou a liberação de recursos públicos para ajuda de custo das entidades. Ato contínuo o Prefeito autorizou o empenho imediato do recurso junto a Secretaria de Finanças, para que o mesmo seja pago integralmente nos próximos três meses.

Na verdade, por força de Lei, o repasse do recurso liberado é dividido em cinco parcelas. Todavia, o prefeito pediu celeridade no empenho para que as cinco parcelas sejam quitadas dentro destes três meses, ou seja; de outubro a dezembro.

Além da Secretária de Promoção e Assistência Social, Iriana Cardoso, participaram da reunião a senhora Abadia Rosa Miranda, diretora da Comunidade Terapêutica Casa Esperança e, o Pastor Alexandre Manente Rocha, diretor do Albergue Casa Jacob, duas instituições assistenciais beneficiadas com a liberação do recurso.

O Albergue Casa Jacob, por exemplo, é uma instituição beneficente que acolhe e atende mais de 100 pessoas diariamente com refeições, entre, homens mulheres e famílias em situação de vulnerabilidade.

Para o Pastor Alê, como é mais conhecido, essa verba os auxilia muito, pois sem ela, eles não conseguiriam dar andamento a casa. “Hoje nós recebemos diariamente mais de 100 pessoas o que corresponde há mais de 400 refeições por dia. Então, sem esse recurso seria impossível a gente continuar prestando assistência social; pelo menos no formato que a gente tem, e atendendo as famílias: pessoas que estão desabrigadas e em situação de vulnerabilidade social. Mas, graças a Deus tem pessoas boas e estamos juntando as forças. A gente faz a nossa parte; o Prefeito nos auxilia de outra parte, e a gente vai conseguindo tirar as pessoas da rua, trazendo mais vida pra elas. Porque se a pessoa consegue sair das ruas, ela tem ânimo para o trabalho e ânimo para recomeçar a sua vida. Então, a gente só tem a agradecer”, externou o pastor

A segunda instituição a receber a liberação do recurso, oriundo do Governo Federal e disponibilizado aos municípios para o enfrentamento da Pandemia da Covid-19 e, seus reflexos sociais, foi a Comunidade Terapêutica Casa Esperança da senhora Abadia Rosa Miranda.

A Casa Esperança  que já existe há 22 anos, tem como atividade principal atender pessoas dependentes do álcool e outras drogas, que estejam em situação de rua, e que sejam desprovidos de recursos financeiros, sem qualquer discriminação que seja; oferecendo gratuitamente, refeições, assistência especializada e acolhimento.

Como as demais instituições assistenciais, a Casa Esperança é mantida por pessoas voluntárias, abnegadas da sociedade rondonopolitana, e muitos profissionais especialistas os ajudam nesse trabalho voluntário. Lá eles tem uma equipe multidisciplinar com; médicos de várias áreas como: psiquiatras, psicólogos, dentistas, enfermeiros, médico homeopata, dermatologista, psicopedagogo, assistente social, educador físico e terapeuta ocupacional.

As pessoas também ajudam com doação de alimentos e roupas como disse a senhora Abadia, “a sociedade rondonopolitana é muito receptiva ao chamado voluntário”.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta