A Prefeitura de Rondonópolis está promovendo um grande mutirão de saúde, nos residenciais Maria Vetorasso I e II, cujo objetivo é orientar, prevenir e combater e eliminar focos de mosquito da Dengue e Leishmaniose.

Na verdade, os trabalhos começaram na última sexta-feira (10) com ações de pulverização nos terrenos baldios e quintais das residências para combater os mosquitos adultos em situação de voo. Participam dessa ação, Agentes Comunitários de Endemias (ACEs), equipes de técnicos e veterinários da Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ), bem como, técnicos do Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Segundo informações da supervisora do mutirão, Maria Suely A. dos Santos, na manhã desta segunda-feira (13), cerca de 40 pessoas, entre técnicos, veterinários e agentes comunitários de endemias (ACEs), abriram duas frentes de trabalho e iniciaram as visitas de casa em casa nos referidos residenciais, realizando a fiscalização e detecção, coleta de amostras e efetivo controle eliminando focos de mosquitos da dengue e Leishmaniose.

Também estão sendo realizados inquéritos caninos, ou seja: o cadastramento, triagens e coletas de sangue dos animais (cães e gatos) para detecção da leishmaniose nas residências onde os donos permitiam a ação da saúde pública.

Ainda segundo a supervisora, as equipes vão visitar durante esta semana os 682 imóveis dos referidos bairros assim distribuídos: 459 residências no Residencial Vetorasso I e, 223 no Vetorasso II.

De acordo com a programação, os agentes de saúde, ainda vão fiscalizar pelo menos 849 terrenos baldios e 24 comércios da região. Este trabalho deve se estender durante toda a semana.

Conforme a Vigilância de Saúde, este trabalho de mutirão de saúde nos referidos bairros, se deu em razão de duas situações de óbitos suspeitos de dengue, cuja situação segue em análise, mas ainda sem confirmação pela SMS.

Aliado a isso, outro fator preocupante, foi a identificação de alguns animais que apresentavam suspeita de contaminação por leishmaniose. Tudo isso ensejou essa ação preventiva e de combate aos mosquitos transmissores da dengue: o mosquito “Aedes Aegypti e, o da leishmaniose: mosquito-palha infectado.

VACINA ANTIRRÁBICA

Paralelo a isso, a Coordenação da Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ), também iniciou no último sábado (11), a vacinação antirrábica canina em alguns pontos estratégicos da cidade, como a região do Residencial Nossa Senhora do Amparo e, no Jardim Gramado região da grande Vila Operária.

Os próximos pontos de vacinação serão nos residenciais: Rui Barbosa e Jambrapi (Res. Jambalaia; Jd. Brasília e Jd. dos Pioneiros), estes últimos na região central da cidade. Na verdade o Dia “D” de vacinação antirrábica na cidade, está programado para acontecer na primeira quinzena do mês de outubro.

Ressaltando que a vacinação dos animais domésticos é uma das principais ações de controle da raiva em áreas urbanas. Este ano, a meta é de imunizar 80% desses animais ou, cerca 45 mil cães e gatos, conforme recomendação da OMS – Organização Mundial de Saúde e do MS – Ministério da Saúde.

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta