Formação irá compartilhar a metodologia TiNis, que busca ampliar o entendimento dos educadores sobre a Natureza e favorecer a autonomia e protagonismo das crianças

Muitos são os benefícios de se aproximar as crianças da Natureza nas escolas: estimular a curiosidade e a criatividade, tornar as crianças mais ativas fisicamente, possibilitar uma relação mais saudável com o alimento, melhorar o desempenho escolar, incentivar comportamentos de cuidado com a Terra (ou com a vida), além de promover sensações de paz e harmonia e reduzir o estresse. Plantar possibilita transformar a paisagem e estreitar a relação entre as crianças e a Natureza para que o vínculo permaneça e o desenvolvimento do cuidado e respeito pelo mundo natural e pelo ambiente social seja nutrido.

Pensando em professores e educadores que buscam se tornar agentes de transformação para um mundo mais sustentável, o Instituto Alana e Gisele Bündchen promovem o Curso on-line TiNis para Educadores. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 8 de setembro.

O curso é voltado para professores da Educação Infantil (com ênfase em EMEI) e Ensino Fundamental I e educadores do contexto não formal. Além de mães, pais e responsáveis interessados na conexão dos pequenos com a natureza. A formação tem como objetivo apresentar as TiNis – seus aspectos teóricos e práticos – e seu potencial educativo; sensibilizar os participantes sobre a importância da criação de vínculo emocional com a Natureza para a qualidade e perpetuação da vida no planeta; mobilizar os participantes a replicarem as TiNis em suas casas e/ou instituições educativas juntamente com as crianças; e resgatar a sabedoria dos povos originários sobre a interdependência da vida e a compreensão da Natureza enquanto sujeito, ou seja, como a Mãe Terra.

Os participantes terão acesso a práticas de centramento, videoaulas, apostilas, vídeos de aprofundamento, rodas de conversas, entrevistas com convidados especiais, atividades práticas e materiais de aprofundamento. O curso é dividido em cinco módulos, que serão abertos com uma atividade de interiorização guiada pela Gisele Bündchen, como um convite para trazer o educador para o momento presente. A formação é híbrida, assíncrona (que acontece no tempo do aluno) e com momentos síncronos (plantões pedagógicos em tempo real). Ministrado por Mônica Passarinho, bióloga, permacultora e educadora para sustentabilidade com foco em aprendizagens com a natureza, o curso terá 28 horas para a certificação básica e 38 horas para a certificação total.

Entre as especialistas convidadas da formação está a pedagoga Fabiana Costa, que conta como foi sua experiência ao notar que, por meio da arte do plantio, era possível fortalecer o vínculo dos pequenos com a natureza. “Quando começamos a plantar com as crianças, notamos que elas criaram novos significados, pois começaram a pesquisar os tipos de solos e adubos, aprenderam a pensar em áreas, perímetros e em como modificar os espaços. Essa relação com a natureza também trouxe novos aprendizados para os pequenos. Na aula de artes, por exemplo, as crianças pintavam as paredes por meio de observações das flores que elas próprias plantaram, e isso transformou a escola em um ambiente vivo”.

Relembre TiNis

Lançado em fevereiro deste ano, o projeto Tinis: Terra das Crianças faz parte de uma parceria entre o Instituto Alana e Gisele Bündchen, e é uma realização do programa Criança e Natureza, que busca fortalecer e estimular o contato e o vínculo emocional da criança com a natureza, a partir da criação de um espaço verde para brincar, aprender e vivenciar. Por meio do cultivo de plantas em pequenos espaços, que são chamados de TiNis – onde são necessários, pelo menos, três vasos de plantas ou meio metro quadrado de canteiro – o projeto convida as crianças, através de novos hábitos e práticas, a desenvolverem empatia por todas as formas de vida, tornando-se agentes de transformação para um mundo sustentável.

As TiNis são um projeto criado pela ANIA , que surgiu no Peru e já está presente em países como Equador, Bolívia, Costa Rica, Indonésia, Japão. A iniciativa foi criada pelo peruano Joaquín Leguía que, depois de passar a infância no jardim de sua avó, sempre acompanhado de seu irmão, se inspirou e entendeu que a experiência poderia transformar os jovens e o mundo.

Sobre o Instituto Alana

Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Criado em 1994, é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão “honrar a criança”.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta